Foto:Divulgação/Notisul
Foto:Divulgação/Notisul

Jailson Vieira
Tubarão

"Nenhuma empresa que fornece alimentos às unidades de ensino gerenciadas pela prefeitura de Tubarão deixou ou deixará de entregar os produtos para os Centros de Educação Infantil (CEIs) e escolas no município", é o que garante a diretora-presidente da Fundação Municipal de Educação, Lúcia Helena Fernandes de Souza.  

De acordo com ela, atualmente são 3,5 mil refeições oferecidas diariamente nas escolas municipais, fora nas creches. “O abastecimento para o próximo mês já ocorre dentro do planejamento do Departamento da Alimentação Escolar (DAE), portanto, não existe qualquer prejuízo na alimentação”, observa.

Ela ainda afirma que os produtos perecíveis são entregues semanalmente, e os não perecíveis mensalmente, os quais obedecem ao cronograma de pagamentos estabelecidos pelo serviço da contabilidade da prefeitura. Nesta segunda-feira, um dos fornecedores de alimentos para a merenda escolar comunicou à Fundação de Educação que suspenderia o abastecimento. O motivo seria o atraso contratual pela prefeitura desde abril. Os vencimentos chegariam R$ 12,2 mil. Conforme Lúcia Helena, esta situação financeira adversa já foi sanada. Na próxima semana, os produtos fornecidos por esta empresa que comunicou o débito, como extrato de tomate, sal, doce de leite e leite sem lactose voltarão a ser entregues nas unidades de ensino.

Segundo a diretora-presidente, desde 2013  cerca de 30 produtos vindos da agricultura familiar integraram o cardápio. Em 2014, a parceria foi ampliada e 47 produtos passaram a ser oferecidos. “Caqui, melancia, pêssego, espinafre, espiga de milho verde, filé de tilápia congelado e suco de maracujá integral são ofertados na rede municipal de ensino, e 60% da merenda escolar é adquirida dos agricultores familiares, possibilitando a atividade agropecuária, e aos alunos, produtos de qualidade”, pontua Lúcia Helena.

De acordo com a presidente do Conselho Municipal de Educação, Laura Oppa, o problema no atraso nos pagamentos dos fornecedores não é recente. “Identificamos dívidas a 18 fornecedores da prefeitura, somente na pasta da Educação. Os valores ultrapassam os R$ 450 mil”, esclarece Laura.