Zahyra Mattar
Tubarão

Os bancários filiados ao Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Tubarão e Região (SEEBTR) declararam estado de greve ontem. Os trabalhadores decidem amanhã se ingressam no movimento nacional deflagrado ontem, em nova assembleia, às 18h30min.

No país, o movimento já nasce forte e sólido. Atinge as principais capitais e cidades. Em Criciúma, a categoria já se reuniu e votou pela paralisação na última sexta-feira.
Na última sexta-feira, ainda havia esperança da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentar uma proposta financeira melhor, o que não ocorreu.
A Fenaban apresentou um índice de reajuste de 7,8%. O percentual é 0,4% superior ao INPC (7,4%). O índice da federação diz respeito à iniciativa privada.

Contudo, é a partir deste percentual que o setor público (Caixa Econômica Federal e Branco do Brasil) elaboram as suas propostas.
Este ano, os trabalhadores pleiteiam a participação nos lucros e resultados e reajuste de 5% mais o índice do INPC (com isso, chega a um total de 12,4%).
No ano passado, a greve dos bancários durou 12 dias, mas foi mais forte do que em anos anteriores porque os trabalhadores da rede privada também paralisaram.