O setor industrial foi o que mais cresceu em Tubarão em fevereiro deste ano. Foram 215 novos empregos.
O setor industrial foi o que mais cresceu em Tubarão em fevereiro deste ano. Foram 215 novos empregos.

Amanda Menger
Tubarão

O Brasil voltou, em fevereiro, a gerar empregos. Foram 9.179 postos de trabalho com carteira assinada. Na Amurel, apenas em Tubarão houve criação de vagas; já em Laguna e Imbituba, ocorreram mais demissões do que admissões no mês passado.
Em Tubarão, foram contratados 1.651 trabalhadores e dispensados outros 1.367, um saldo de 284 vagas formais. O setor que mais admitiu foi a indústria de transformação, com 215 empregos.

Em segundo lugar, ficou o de serviços, com 91 vagas. Em terceiro no ranking, ficou a construção civil com 44 empregos. Já o ramo comercial, foi o que mais apresentou retração: 77 postos de trabalho foram fechados.
A geração de empregos em Tubarão é 3,05 vezes maior se comparado ao mesmo mês do ano passado. Em fevereiro de 2008, foram geradas 93 vagas. O setor industrial também foi o que mais gerou emprego naquele período: 75, e a administração pública foi a que mais demitiu: 14 trabalhadores.

Na Cidade Juliana, foram admitidas 235 pessoas e demitidas 354, um resultado negativo de menos 119 empregos. O setor de serviços foi o que mais encolheu: 103 vagas foram fechadas. O segundo que mais demitiu foi o de comércio, com menos 30 postos de trabalho. A indústria foi a que mais gerou oportunidades, com oito novos empregos.

Em fevereiro de 2008, Laguna também apresentou retração no mercado de trabalho, com menos 119 vagas. No ano passado, o ramo de serviços também foi o que mais demitiu, com menos 96 vagas. O comércio ficou em segundo lugar, com menos 20 empregos. Já na indústria, foram criados 21 postos.

Imbituba
O resultado foi negativo também em Imbituba, com menos 17 vagas. Foram admitidos 248 e dispensados 265 trabalhadores. As demissões foram concentradas no ramo de serviços, com menos 48 postos de trabalho, seguida pela indústria, com menos 12 empregados. O comércio, ao contrário, foi o que mais empregou, com 20 novos trabalhadores com carteira assinada. Em fevereiro de 2008, houve retração no mercado de trabalho, com menos 82 trabalhadores. Serviços foi o ramo que mais demitiu, menos 54 empregados, seguido pelo comércio com menos 54 postos de trabalho.

Cidade
O Notisul solicitou os dados de geração de empregos ao Serviço Nacional de Empregos (Sine) de Braço do Norte, porém, funcionários disserem que não poderiam repassar as informações porque o responsável pelo órgão está de férias.