Tatiana Dornelles
Sangão

O que era para ser uma festa típica de domingo acabou em briga entre o agricultor José dos Santos e o prefeito de Sangão, Antônio Mauro (PP). O morador do bairro Areinha queria aproveitar a festa comunitária que ocorria no bairro para reivindicar melhorias em sua rua. Segundo ele, o serviço era necessário para melhor escoar a sua produção.

O prefeito, por sua vez, continuou na festa e, por volta das 17 horas, quando saiu em direção do seu carro, o agricultor aproximou-se e começou a reclamar da situação da estrada. A partir daí, a briga começou. De um lado, José afirma que a agressão partiu de Antônio Mauro. De outro, a afirmação é que quem começou foi o próprio agricultor.

Conforme relatos de um vereador, que não viu a briga, mas foi procurado para auxiliar, o agricultor pedia o patrolamento da estrada há vários meses. “Como houve a festa em seu bairro, o morador foi ao local para tentar falar com o prefeito. Ao término, o procurou e o prefeito o agrediu. O agricultor saiu bastante machucado. Além disso, registrou boletim de ocorrência na polícia e exame de corpo delito”, conta.

Antônio Mauro garante que apenas defendeu-se, uma vez que José teria começado a briga. “Ele veio para me agredir, veio para cima de mim. O agricultor tentou entrar no meu carro, de qualquer jeito, começou a me agredir com um soco e fui me defender. Qualquer um faria isso. Ele fez papel de louco”, declara o prefeito de Sangão.

Segundo ele, o serviço reivindicado pelo morador de Areinha já havia sido realizado há cerca de oito meses. “Coloquei três máquinas no local para arrumar aquela rua. Não precisava nada disso. Estou aqui para atender o povo e fazer o melhor possível em minha gestão”, ressalta Antônio Mauro.