Carolina Carradore
Tubarão

O PMDB catarinense passa a colher os frutos do resultado da convenção realizada sábado. De um lado, as comemorações dos que defendem a reedição da tríplice aliança, que só esperam o sim do PSDB para ser confirmada. Do outro, a indignação não só da cúpula nacional, mas também de correligionários catarinenses que apostavam na chapa pura. A executiva nacional deixa claro a intenção de expulsar o ex-governador Eduardo Moreira do partido, agora pré-candidato confirmado a vice de Raimundo Colombo (DEM). Isso sem falar da intervenção, ameaça feita desde que Moreira desistiu de ser candidato a governador.

“Estou tranquilo. Juridicamente, não tem como eles me expulsarem. Este tipo de atitude só me qualifica ainda mais na campanha. Agora, só esperamos o PSDB para fechar a tríplice”, declarou, ontem, esperançoso.
As medidas de retaliação da cúpula nacional do PMDB só serão definidas amanhã, no próximo encontro da executiva. No mesmo dia, os dirigentes do partido devem discutir a intervenção.

Já o PSDB, deve decidir o seu destino na convenção de amanhã. Ontem, tucanos lavaram a ‘roupa suja’ em reunião da executiva, com a presença dos prefeitos do partido, que se estendeu até a madrugada, após o fechamento desta página. Divididos, há tucanos que defendem candidatura própria, como ainda há membros do PSDB que acreditam na tríplice aliança. “O sentimento da maioria dos tucanos é de frustração. Achávamos que cada um deveria sair com seu candidato, abrindo a porta da esperança para o PSDB”, afirma o presidente do partido no estado, Beto Martins.

Rumos da convenção

O presidente do PSDB estadual, Beto Martins, acredita que a convenção de amanhã pode acabar com mais opções nas cédulas. Uma das possibilidades seria o governador Leonel Pavan lançar o seu nome como candidato na chapa pura, assim como é cogitada a coligação com DEM e PMDB. Segundo Beto, a opção de aliança com o PP não está descartada de ser colocada na pauta da convenção. A união com os progressistas é um desejo também do prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro (PSDB). Até o fechamento desta página, a reunião da executiva do PSDB não havia terminado.

Enquanto isso, o PP, que lançou oficialmente a candidatura de Angela Amin, em convenção realizada sábado, ainda não firmou compromisso nem com o PT nem com o PDT. O presidente dos brizolistas em Santa Catarina, Manoel Dias, disse ontem que as negociações de aliança estão 50% para os progressistas e 50% para os petistas. Ele acredita que o rumo do partido será definido depois do resultado da reunião da executiva nacional, realizada hoje.