Edson Firmino pode perder o mandato por ter trocado o PDT pelo PMDB, no começo do mês passado. Hoje, ele chefia a secretaria de governo da prefeitura de Tubarão.
Edson Firmino pode perder o mandato por ter trocado o PDT pelo PMDB, no começo do mês passado. Hoje, ele chefia a secretaria de governo da prefeitura de Tubarão.

Zahyra Mattar
Tubarão

A desfiliação do atual secretário de governo da prefeitura de Tubarão, Edson Firmino, do PDT para ingressar no PMDB, poderá custar caro ao vereador. Filiado ao PMDB desde o dia 7 do mês passado, Firmino foi surpreendido com uma ação ingressa por sua ex-sigla, que reivindica a sua vaga na câmara.

Até então, havia uma espécie de acordo com a diretoria municipal, para que a desfiliação não fosse contestada. Mas a executiva estadual não deixou passar em branco.
“Em um país sério, ele estaria cassado no momento em que assinasse com outra sigla. Buscamos o que é nosso por direito”, contesta o secretário geral do PDT em Santa Catarina, Everton Wan-Dall.

Edson deverá ser citado pela justiça eleitoral na próxima semana e terá cinco dias para argumentar a seu favor. “Não farei nenhum pronunciamento sobre o assunto agora. Até porque nem fui notificado ainda”, resume o secretário.
O reflexo direto de uma possível cassação de mandato é que Edson ficaria sem cargo, pois fica impedido de retornar à câmara no próximo ano, quando se desincompatibilizar do cargo na prefeitura para participar das eleições. Hoje, sua vaga no legislativo é do primeiro suplente da coligação, Eraldo Pereira da Silva, do PPS.