Apenas uma parte da fundação do novo prédio foram feitas. Além do acúmulo de lixo em frente da entrada da escola, moradores reclamam do perigo. Eles afirmam que pessoas suspeitas entram no terreno em vários horários.
Apenas uma parte da fundação do novo prédio foram feitas. Além do acúmulo de lixo em frente da entrada da escola, moradores reclamam do perigo. Eles afirmam que pessoas suspeitas entram no terreno em vários horários.

Angelica Brunatto
Capivari de Baixo

Há muito tempo as obras de reconstrução da escola estadual General Osvaldo Pinto da Veiga, em Capivari de Baixo, estão paradas. Tanto a comunidade quanto os alunos reclamam da paralisação dos trabalhos.
Os moradores têm medo da atual situação da unidade escolar. Eles contam que o local virou um ponto de encontro de usuários de drogas. Os estudantes também pedem soluções. Eles pintaram o que sobrou do muro da escola com frases de impacto, a fim de reivindicar a retomada da obra.

Há dois anos o primeiro processo licitatório foi lançado, ainda no governo de Luiz Henrique da Silveira (PMDB). Na época, a empresa vencedora foi a Ser Forte, de Criciúma. A obra foi orçada em R$ 1.332.062,26. Porém, em abril do ano passado, o contrato foi rescindido já que apenas parte da fundação do novo prédio tinha sido executada.
Agora, um ano após, um novo processo licitatório deve ser lançado em breve. Conforme o secretário de desenvolvimento regional em Tubarão, Haroldo Silva, o Dura (PSDB), isso deve ocorrer nos próximos 15 dias. “O orçamento já está certo. Falta apenas o governador aprovar”, explica Dura.

Além do edital para a instituição de Capivari de Baixo, também será lançado o processo licitatório para a construção do novo prédio da escola Campos Verdes, em Jaguaruna. Neste caso a caso, a concorrência deverá ser aberta em cerca de dez dias, estima Dura.
As duas obras, juntas, estão orçadas em R$ 6 milhões. Para este ano estão rubricados R$ 1 milhão para cada unidade escolar.

A obra

O novo prédio da escola Osvaldo Pinto da Veiga terá 2.383 metros quadrados de área construída, urbanização, pavimentação, bicicletário, muros, drenagem pluvial e jardinagem.