Karen Novochadlo
Tubarão

O edital de licitação das obras de macrodrenagem da margem esquerda, em Tubarão, deverá ser lançado nos próximos dias. O documento já foi entregue para análise da secretaria de gestão da prefeitura. O projeto beneficiará em muito a população e também evitará alagamentos e outros problemas das épocas de chuva.

“Os planos são para lançar o edital na próxima semana. Mas, como é uma semana curta, poderá ficar para a outra ainda”, explica o vice-prefeito Pepê Collaço (PP).
A verba para a execução da obra é proveniente do Ministério das Cidades, por meio da Caixa Econômica Federal (CEF). Ao todo, são 4,9 milhões.
A macrodrenagem da margem esquerda compreende duas obras distintas: a construção de duas estações elevatórias às margens do rio, e obras de microdrenagem, na margem esquerda da cidade.

Ambas têm um único objetivo: evitar que novos locais passem a acumular água, já que a obra de duplicação da BR-101 mudou a característica de algumas regiões, caso do bairro Dehon, por exemplo. Juntos, os dois projetos beneficiarão quase 30% dos habitantes (cerca de 28 mil), que vivem nos bairros Humaitá, Dehon, Morrotes, Vila Elisa e Centro.

Macrodrenagem

Microdrenagem
• Valor do contrato: R$ 4.435.587,97.
• Ministério das Cidades: R$ 4.213.808,57.
• Prefeitura de Tubarão: R$ 221.779,40.
A obra: Será realizada desde a BR-101 até o Rio Tubarão e deve levar cerca de quatro meses para ser concluída. O projeto beneficiará cerca de 28 mil habitantes, moradores dos bairros Humaitá, Dehon, Morrotes, Vila Elisa e Centro. A ampliação do sistema de drenagem envolverá a construção de galerias, em uma extensão de 1,49 quilômetro, além da implantação de 15 caixas de ligação e passagem d’água.

Estações elevatórias
• Valor do contrato: R$ 499.973,98.
• Ministério das Cidades: R$ 474.975,28.
• Prefeitura de Tubarão: R$ 24.998,70.
A obra: Serão construídas duas. Uma na avenida Padre Geraldo Spettmann, esquina com a avenida Getúlio Vargas (beira-rio – cabeceira da ponte Nereu Ramos), e outra na Vila Elisa. A expectativa é de que sejam implantadas dentro de três meses. Esta obra beneficiará cerca de oito mil famílias.

Parabéns, Defesa Civil
Membros da Defesa Civil de Tubarão, o coordenador do grupo, José Luiz Tancredo, e o prefeito Manoel Bertoncini receberam, ontem, em Florianópolis, o certificado de adesão à Campanha Mundial para Redução de Desastres. Além da Cidade Azul, outros cinco municípios catarinenses também receberam o documento: Blumenau, Jaraguá do Sul, Rio do Sul, Itajaí e Florianópolis.

A campanha, que tem como base o crescimento urbano, tem o objetivo de construir comunidades sustentáveis e seguras. Única cidade do sul do estado a receber a certificação, a Cidade Azul é exemplo de ações preventivas, justamente a prerrogativa da ONU para que um município integre o seleto grupo.
Entre as ações implementadas que se destacam, estão o mapeamento das áreas de risco em parceria com o núcleo de gestão de risco da Unisul, a elaboração do plano de contingência, o estudo de implantação dos Núcleos de Defesa Civil (serão dez, no total) e a realização do programa Na Escola a Defesa Civil Faz a Diferença, que abrange 1, 2 mil alunos da rede municipal de ensino.

O dia virou noite em Tubarão

Zahyra Mattar
Tubarão

As temperaturas altas resultaram em chuva e vento gelado ontem. Em Tubarão, a máxima de 31,1°C registrada de manhã deu espaço, em poucos minutos, a 19,8°C por volta das 17 horas de ontem. Cerca de meia hora antes, o céu ficou negro. Parecia noite. Era o anúncio da chuva.

Veio forte, alagou algumas ruas – Tubalcain Faraco (do Notisul) e avenida Padre Geraldo Spettmann (da rodoviária), por exemplo. Mas nada que causasse transtorno. E a tendência é que o clima típico do outono persista hoje, especialmente na faixa litorânea e oeste do estado.
A estação meteorológica da Epagri/Ciram, que monitora o tempo em Santa Catarina, prevê temporais com granizo isolado em todas as regiões litorâneas hoje. Nas demais regiões, o risco é baixo.
Conforme os meteorologistas, temporais como o de ontem não são comuns nesta estação do ano. O de ontem foi motivado pela chegada de um sistema de baixa pressão e uma frente fria no Rio Grande do Sul.

Associados ao forte calor, estes sistemas favorecem a formação de nuvens carregadas e ocasionam as tempestades. Daí a previsão de granizo e rajadas de vento destrutivas, além de descargas elétricas e elevados volumes de chuva.
A chuva de ontem foi a primeira deste mês em Tubarão. Foram contabilizados 20 milímetros de água. O dado é da estação Oregon, instalada no bairro Vila Moema.