Zahyra Mattar
Tubarão

A passagem do governador catarinense, Luiz Henrique da Silveira (PMDB), por Tubarão, nesta semana, foi cheia de surpresas. Além da agenda programada, LHS anunciou a confecção de um dossiê a respeito do andamento das obras de duplicação da BR-101 entre Palhoça, na Grande Florianópolis, e Passo de Torres, na divisa com o Rio Grande do Sul. Como argumento, o governador utilizou a indagação da classe empresarial catarinense. Para a grande maioria as obras estão totalmente paralisadas.

O documento, feito pelo Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), foi entregue pelo próprio governador ao ministro dos transportes (cargo ocupado hoje por Alfredo Nascimento). “Ele prometeu uma resposta em aproximadamente 15 dias. Esta obra é essencial para Santa Catarina. Sei dos problemas ocorridos no ano passado. Disso ninguém precisa me lembrar (refere-se à enchente que assolou o norte catarinense em novembro e afetou o andamento da duplicação). Mas algo está errado. A impressão é que não tem mais obra”, explanou Luiz Henrique.
O deputado federal Edson Bez de Oliveira (PMDB) completou: “Articulei a vinda da diretoria do Dnit, em Brasília, para Santa Catarina, especialmente para Tubarão, com o intuito de prestar esclarecimentos. Eles deverão agendar a viagem entre os dias 16 a 20 deste mês”, anunciou.

A assessoria de imprensa do Dnit, em Florianópolis, alega que as obras prosseguem sem problemas. Porém, reforça que existe ainda o reflexo das chuvas de novembro de 2008. Nesta sexta-feira, às 16 horas, uma equipe do Notisul percorreu o trecho de Tubarão (de Sangão até Capivari de Baixo) e não localizou nenhuma das frentes de trabalho da Triunfo, empreiteira responsável pela duplicação na região. Atualmente, 97 quilômetros de pista duplicada estão liberadas no trecho sul do estado.

Obras de arte especiais
Os dois projetos especiais previstos para a Amurel – o Morro do Formigão, em Tubarão, e a ponte de Cabeçudas, em Laguna – deverão ter os respectivos editais de licitação anunciados até julho deste ano. O Dnit em Brasília já iniciou a análise final dos dois projetos. Ambas as obras devem ser finalizadas até dezembro de 2011.