Amanda Menger
Tubarão

A lentidão nas obras de duplicação da BR-101 em Tubarão preocupa moradores, representantes de entidades civis e políticos. No lote 26, de empreiteira Triunfo, entre Capivari de Baixo e Sangão, as obras praticamente não andaram em quatro meses.
O comparativo foi feito pelo Notisul, com base nos relatórios de medição feitos mensalmente pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Os levantamentos são feitos pelo Dnit e servem de base para a liberação de recursos. A empresa é paga por aquilo que faz.

Em quatro meses, a empresa só fez 250 metros de terraplenagem e restaurou 500 metros da pista antiga. No restante, nada. A pouca atividade nos canteiros de obra significa menos dinheiro em caixa. As informações extraoficiais dão conta de que a empreiteira teria R$ 2 milhões em dívidas com outras empresas da região. Exatamente por causa destas denúncias, os vereadores resolveram procurar o procurador da república em Tubarão, Celso Antonio Três, para ver de que forma é possível agilizar as obras.

“Vou abrir um inquérito civil para apurar todas as denúncias que chegaram, inclusive estas de calotes. A intenção mesmo é saber o que está ocorrendo, porque as obras não andam, já que o Dnit diz que os pagamentos estão em dia”, revela Três.
Os vereadores Maurício da Silva (PMDB), Deka May (PP), Edson Firmino (PDT) e Haroldo de Oliveira Silva, o Dura (PSDB), comprometeram-se em repassar as atas de sessões da câmara em que engenheiros da empresa participaram e com a conclusão das obras. “Isso servirá de embasamento para as ações que o procurador tomará”, diz Maurício.

Vistoria
Os lotes 22, 23, 24 e 25 da BR-101, entre Palhoça e Capivari de Baixo, serão vistoriados nesta segunda-feira. A comitiva sairá de Florianópolis às 9 horas, com a presença de parlamentares e também de Hideraldo Luiz Caron, diretor de infraestrutura rodoviária do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e a equipe técnica do órgão no estado. Durante a visita, serão liberados ao tráfego os viadutos de acesso a Garopaba, no quilômetro 273, a Guaiuba, no quilômetro 284, e à Praia do Sol, quilômetro 305,8.

As providências

Após a conclusão do inquérito civil, o procurador da república em Tubarão, Celso Antonio Três, fará recomendações extrajudiciais à empreiteira Triunfo e ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Caso as recomendações não sejam cumpridas, ele não descarta a possibilidade de entrar com uma ação civil pública. Dependendo do que for constatado, é possível que a empreiteira possa ser impedida de firmar novos contratos com a União.

“O principal objetivo é que a empresa conclua os trabalhos. Mas, se for inevitável o rompimento do contrato, que isso seja feito o mais rápido possível. Vamos comparar também o andamento das obras no lote 29, em Araranguá. Não queremos que aqui avance mais do que lá, e sim que as obras sejam finalizadas”, afirma Três.
O Notisul tentou contato com a sede da empresa, em São Paulo, já que em Tubarão ninguém pode falar sobre as obras. Porém, na capital paulista, ninguém foi localizado para comentar sobre as dívidas.