Zahyra Mattar
Laguna

Não foi desta vez que homens e máquinas voltaram para continuar a duplicação do lote de obras 25 da duplicação da BR-101 sul, entre Capivari de Baixo e Laguna. Isto era para ocorrer esta semana, mas um pedido de mais prazo feito pela direção da Araguaia, agora a líder no consórcio responsável pelos trabalhos, foi aceito pelo Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Dnit).
O prazo é de apenas mais alguns dias: a empresa tem até o dia 14 para resolver as questões financeiras que envolvem as negociações com os credores. É isso ou multa.

As empresas terceirizadas, entre elas a Amiton Lemos Engenharia de Obras, de Tubarão, e a Cooperativa de Caminhões de Capivari de Baixo (Coopertranscap), já aceitaram retomar o serviço mediante o pagamento de uma parte do que lhes é devido.

A Araguaia concordou e agora faz o levantamento de quanto poderá ser quitado. É este o motivo do pedido de prazo. Ainda que tenha estendido a data para a volta ao trabalho, o Dnit não refez o cronograma de obras do lote 25. Em virtude do pouco tempo para finalizar tudo até julho, é quase certo que as datas sejam revistas.
Hoje, o lote 25 tem apenas 9,5 quilômetros de pistas duplas. O equivalente a 31,77% do total a ser feito (29,9 quilômetros). É o segundo trecho mais atrasado de toda a duplicação da BR-101 sul, só fica à frente do lote 30, entre Maracajá e Araraguá, onde uma nova licitação precisou ser feita no ano passado.