Em 2012, Deyvisonn (E) fez dupla com Marcelo Mendes (PMDB), atual suplente de vereador eleito -  Foto:Divulgação/Notisul
Em 2012, Deyvisonn (E) fez dupla com Marcelo Mendes (PMDB), atual suplente de vereador eleito - Foto:Divulgação/Notisul

Pescaria Brava

Com uma população de menos de 10 mil habitantes, Pescaria Brava foi destaque em praticamente todos os canais de notícias no Brasil, ontem. Como único município em Santa Catarina com eleição definida por apenas um voto, pelo menos três canais de TV quiseram conhecer os bastidores da disputa.

Deyvisonn da Silva de Souza (PMDB), eleito com 2751 votos, diz que o mais emocionante é que dois eleitores acamados foram levados por familiares para votar na sua coligação.

Sobre o desafio de administrar uma cidade ‘dividida ao meio’, ele acredita que seu estilo vai convencer a outra parte. “Vamos administrar a prefeitura como uma empresa, com enxugamento da máquina pública”, explica.

Quando Pescaria Brava ainda pertencia a Laguna, Deyvisonn foi o vereador mais votado em duas eleições seguidas, 2004 e 2008. Em 2012 perdeu a eleição para o atual prefeito, Antônio Honorato (PSDB), na primeira eleição do município, por 281 votos.

Deyvisonn diz ainda que na noite anterior à eleição estava na maior comunidade do município, em Barreiros, justamente de onde uma família decidiu levar um parente enfermo à sessão eleitoral. Se o resultado terminasse empatado, o peemedebista perderia. Tem 41 anos contra 51 do atual prefeito e o critério de desempate é a idade.

Segundo representantes do PSDB, o partido não pedirá a recontagem dos votos. Mesmo assim, advogados querem levar à justiça algumas suspeitas de eleitores que não conseguiram votar. O prefeito diz que, pelas pesquisas, tinha os votos para vencer, mas muitas pessoas conhecidas não foram às urnas.