Carolina Carradore
Tubarão

A Central de Polícia de Tubarão instaurou esta semana o inquérito para apurar as denúncias contra o vereador Geraldo Pereira, o Jarrão (PMDB), e da assessora Cynara Guimarães Antunes. À pedido do Ministério Público, a polícia investigará se houve conduta criminal por parte do vereador e da funcionária. Ambos foram denunciados no dia 7 deste, em matéria divulgada no Fantástico. Conforme a reportagem, eles faziam turismo com verba pública, em vez de participarem de um curso de qualificação no Recife.

O delegado Carlos Diego Araújo, responsável pelo inquérito, deve pedir em breve uma cópia sem edição do vídeo em que Jarrão e Cynara aparecem em Porto de Galinhas, dia 4 de julho, no momento em deveriam estar no curso.

Ele também ouvirá Jarrão e Cynara e o repórter Giovani Grizotti, responsável pela matéria. Jarrão e sua assessora serão investigados pelo crime de peculato desvio, conforme o artigo 312 do Código Penal. A polícia apurará se ambos desviaram verba pública em proveito próprio. O inquérito tem 30 dias para ser concluído – com direito a prorrogação se necessário. Se condenados, a pena prevista é de 12 anos de prisão em regime fechado.

Câmara esconde documento

O presidente da câmara de vereadores de Tubarão, João Batista de Andrade, o Sargento Batista (PSDB), garantiu ontem que não tornará público os documentos que detalham a utilização das diárias pelo legislativo. Conforme ele justifica, a medida visa preservar os vereadores. “Se algum vereador quiser tornar público, tudo bem. Mas da minha mão não entrego nada à imprensa. Se quiserem somente em juízo”, frisa o presidente.

Batista deve entregar hoje o relatório referente aos gasto de 2009 e este ano aos vereadores Edson Firmino (PDT) e Dionísio Bressan Lemos (PP). A dupla pediu os documentos por meio de um requerimento. Na próxima semana, a câmara deve atender ao pedido do Ministério Público e entregar o levantamento de uso de diárias referente aos últimos cinco anos.

Esses papéis detalham quais os gastos, os roteiros e quem foram os vereadores que utilizaram dinheiro público para viagens. Até agora, a câmara apenas divulgou o valor total das despesas com diárias. Em 2009 foram gastos R$ 21.745,56 com realização de trabalhos ou cursos. Este ano, o número chega perto da despesa do ano anterior: R$ 18.407,40.

Jarrão pede prazo ao MP

O vereador de Tubarão Geraldo Pereira, o Jarrão (PMDB), deveria prestar depoimento para o Ministério Público (MP) hoje. Porém, segundo a promotora Maria Amélia Borges Moreira Abbad, ele pediu para prorrogar o prazo para ser ouvido. Jarrão deverá prestar os esclarecimentos possivelmente na próxima semana.

Entenda o caso

O programa Fantástico mostrou, no dia 7 deste mês, uma gravação onde mostra o vereador de Tubarão Geraldo Pereira (PMDB), o Jarrão, na praia de Porto de Galinhas, ao lado da esposa, da filha e da assessora Cynara Guimarães Antunes. Ele e a funcionária deveriam participar de um curso parlamentar no Recife. Em conversa com o repórter Giovani Grizotti, disfarçado de assessor, Jarrão disse “eu não vim aqui fazer curso de vereador, eu vim passear”.

Só em diárias, ele e a assessora gastaram cerca de R$ 5 mil. Jarrão garante que participou do curso no período da tarde e que no horário em que foi flagrado na praia, segundo ele próximo das 11 horas, estava de folga. Procurada pelo Notisul, a assessora Cynara diz que não falará sobre o assunto.