Relatório da CEI sobre as denúncias contra Jarrão deve ser deliberado em plenário na próxima semana.
Relatório da CEI sobre as denúncias contra Jarrão deve ser deliberado em plenário na próxima semana.

Zahyra Mattar
Tubarão

Os pareceres a respeito das investigações feitas sobre o escândalo das diárias na câmara de vereadores de Tubarão serão divulgados somente na próxima semana. A informação é confirmada pelo presidente do legislativo, João Batista de Andrade (PSDB).

O primeiro versa sobre a análise jurídica da conclusão apresentada pela Comissão Especial de Inquérito (CEI) no dia 8 do mês passado. O documento foi encaminhado para outra análise, da comissão de justiça e legislação da câmara. O grupo, contudo, pediu um terceiro parecer, para o departamento jurídico da casa.

E somente após este pronunciamento é que o legislativo analisará as sanções sugeridas pela CEI: a devolução dos recursos gastos pelo vereador Geraldo Pereira (PMDB), o Jarrão, no curso feito no recife, instauração de uma comissão processante por quebra de decoro e a regulamentação de critérios para o fornecimento de diárias.
O outro parecer versa sobre a apuração dos fatos em relação à assessora de Jarrão, Cynara Guimarães Antunes. A incumbência ficou para uma comissão formada por três servidores da casa.

O relatório já foi concluído, mas será divulgado somente na próxima semana, provavelmente na sessão de quinta-feira. Batista antecipa, contudo, que somente será deliberado em plenário após análise da comissão de justiça e legislação, que, por sua vez, deve acionar novamente o setor jurídico da casa.

Entenda o caso
O programa Fantástico, da Rede Globo, apresentou uma reportagem no dia 8 de agosto, na qual o vereador Geraldo Pereira (PMDB), o Jarrão, de Tubarão, estava na praia de Porto de Galinhas (RE), ao lado da esposa, da filha e da assessora Cynara Guimarães Antunes.

Ele e a funcionária deveriam participar de um curso parlamentar no Recife. O episódio ocorreu no dia 4 de julho. No entanto, o vereador garante que participou do curso no período da tarde e que estava de folga dos seminários no horário em que foi flagrado na praia, próximo das 11 horas.

A CEI aberta para investigar as denúncias considera que Jarrão participou apenas de seis horas das 20 previstas no curso. A assessora Cynara, até o momento, não quis dar declarações ao Notisul.