Zahyra Mattar
Tubarão

Às 17 horas de ontem, o dia virou noite em Tubarão. Rapidamente, nuvens pretas cobriram o céu, o vento tornou-se uma ventania e a chuva caiu forte por aproximadamente 30 minutos. A intensidade da tempestade impressionou. Era impossível enxergar o outro lado da rua. Assim como começou, de uma hora para outra, o temporal cessou. O resultado foi uma comunidade assustada e incontáveis estragos pela cidade inteira.

O setor de clima e previsão do tempo da Epagri/Ciram confirmou a suspeita: um ciclone extra-tropical atingiu a cidade. O núcleo de instabilidade de baixa pressão ainda poderá voltar a castigar a cidade e a região hoje. “Para amanhã (hoje), é esperado um vento muito forte em Tubarão e cidades litorâneas no sul do estado. Há risco de destelhamento de casas. Em certos momentos do dia, o vento poderá chegar a 80 quilômetros por hora”, atesta o meteorologista Marcelo Martins, da Epagri/Ciram.

O engenheiro químico Luciano Marques, de Tubarão, informou que choveu 36 milímetros ontem. O vento chegou a 102,6 quilômetros por hora. Ele tem uma estação meteorológica em casa, no bairro Vila Moema, construída por conta de seu mestrado, onde desenvolve um estudo sobre o clima na bacia hidrográfica do rio Tubarão. Outro dado que confirma a formação do ciclone é as temperaturas. Antes do fenômeno, faziam 32° C em Tubarão, por volta das 15 horas. Depois da chuva, a temperatura caiu para 25° C.
q
O mais interessante é que nas cidades vizinhas de Tubarão nada parecido foi registrado. Em Jaguaruna, choveu muito pouco. A maior precipitação foi no balneário Camacho, mas nada que provocasse estrago. Em Laguna, a chuva foi forte por 15 minutos e igualmente nada grave foi constatado. Nem mesmo os pontos de tradicionais alagamentos encheram. Em Gravatal, o máximo observado foi uma garoa. O mesmo foi observado em Imbituba.

Cerca de 30 mil consumidores ficam sem energia
Amanda Menger
Tubarão

Estimativas da Celesc apontam que 22 mil consumidores ficaram sem energia elétrica em Tubarão e quase oito mil em Capivari de Baixo. A queda no abastecimento ocorreu por volta das 17 horas. O blecaute atingiu cerca de 80% das duas cidades.

“Muitas árvores e galhos caíram sobre a rede de energia e isso fez com que os fios rompessem e também danificassem os condutores. Colocamos cinco equipes para recuperar o mais rápido possível a rede que apresentou problemas”, afirma o gerente regional da Celesc em Tubarão, Gerson Bittencourt.

Por volta das 18h40min, a energia foi restabelecida no bairro Oficinas. Às 19 horas, a luz retornou ao bairro Morrotes e trechos do Dehon. Cerca de 20 minutos depois, a rede foi religada também no Centro, nas proximidades do Banco do Brasil e às 19h50min, nas redondezas do Hospital Nossa Senhora da Conceição. A expectativa da Celesc era que, por volta das 23 horas, a energia fosse completamente restabelecida em Tubarão e Capivari.

Consumidores podem receber água suja nas torneiras hoje
Tatiana Dornelles
Tubarão

Devido às fortes chuvas e alagamentos no fim da tarde de ontem, Tubarão e Capivari de Baixo ficaram sem energia elétrica por várias horas. Como consequência, as bombas de captação de água pararam de funcionar e o abastecimento do líquido precisou ser cortado em vários bairros da cidade.

“Estávamos com 70% de água nos reservatórios. Quando faltou luz, as bombas pararam de funcionar e não puxavam mais água do rio. Como as pessoas estavam usando bastante o líquido, tivemos que cortar o abastecimento em algumas localidades para não deixar os hospitais (Nossa Senhora da Conceição e Socimed) sem água”, explica o engenheiro civil e superintendente técnico da Agência Reguladora das Águas de Tubarão, Marcelo Fernandes Matos.

Com o fechamento das redes que levam água aos bairros mais afastados da região central, como Passo do Gado, Sertão dos Corrêa, Monte Castelo, entre outros, os moradores destas localidades ficaram sem o produto ontem à noite. O abastecimento nestes lugares foi restabelecido por volta da meia-noite. “Alertamos à população, principalmente destes bairros, que hoje poderá sair água amarelada, preta, suja, das torneiras. Durante toda a manhã, isso pode ocorrer”, alerta Marcelo.

Se for constatada a presença de água suja nas torneiras, o engenheiro civil pede que as pessoas entrem em contato com o Águas de Tubarão para que um profissional seja acionado e solucione o problema.

Calamidade pública
O município de Timbé do Sul, no extremo-sul de Santa Catarina, deve decretar estado de calamidade pública devido aos estragos provocados pela forte chuva da noite de quarta e madrugada de ontem.

Houve queda de barreiras, alagamentos e o transbordamento do rio Serra Velha, que corta a cidade. Cerca de 1,5 mil pessoas estão isoladas em áreas do interior da cidade.