Amanda Menger
Tubarão

O professor Felipe Felisbino reassumiu a secretaria de cultura, esporte e turismo da prefeitura de Tubarão ontem, a pedido do prefeito Carlos Stüpp (PSDB). O retorno ao cargo teve um outro significado. Felisbino não concorrerá a vereador este ano e, para surpresa geral: ele e outros nove nomes desfiliaram-se do Democratas.

Felisbino protocolou ontem no fim da tarde, no cartório eleitoral da 99ª zona eleitoral, em Tubarão, o seu pedido de desfiliação. Desde 1991 na sigla, (até o ano passado, PFL), o secretário emitiu uma nota oficial e listou diversos motivos para a sua saída. A nota afirma que “a principal queixa do grupo (liderado por Felipe) é com relação à coligação fechada com o PMDB para o próximo pleito, segundo eles (o grupo), ‘por gente que chegou ontem ao partido’”.

Na visão de Felipe, o partido está dividido em duas alas. Uma delas é liderada pelo secretário estadual de articulação nacional, Geraldo Althoff, e a outra, pelo atual presidente Dalton Marcon. Esta fissura no partido teria ocorrido durante a eleição do diretório. “Tem muitas pessoas descontentes com os encaminhamentos dados. Teria sido muito melhor se o partido tivesse saído com chapa pura. Haveria possibilidades de crescimento”, desabafa Felipe.

O secretário afirma que foi, por diversas vezes, perseguido por companheiros do partido. “Isso ocorreu porque eu apoiei Manoel Bertoncini como candidato a deputado estadual, uma vez que o presidente estadual do partido, Júlio Garcia, não apoiou Geraldo Althoff na região. Depois disso, não teve um dia que não pediram a minha cabeça ao prefeito Stüpp”, revela Felisbino .