Foto:Divulgação/Notisul
Foto:Divulgação/Notisul

Letícia Matos
Tubarão

A proximidade do fim do ano representa oportunidade de emprego e renda para muitas pessoas. É nesta época que o comércio precisa reforçar o quadro de funcionários para atender o aumento da demanda por produtos e serviços, incentivado pelo pagamento do 13º salário aos trabalhadores. Porém, em Tubarão, as notícias não são muito animadoras. Mesmo na segunda colocação em geração de emprego no mês de outubro no ranking estadual do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) – entre as 41 cidades com mais de 30 mil habitantes em Santa Catarina – a Cidade Azul teve uma retração de 35% em admissões comparado ao mesmo período em 2014.

Para o presidente do Sindicato do Comércio e Atacadista de Tubarão e Região (Sindilojas), Harrison Marcon, as contratações serão pautadas por necessidades pontuais, ou seja, primeiro as empresas avaliam a real necessidade de expandir temporariamente a quantidade de funcionários para depois contratar. “Como empresário, sinto que este ano nós já estamos com o quadro reduzido e o empenho maior é tentar manter os funcionários que temos. Sempre começávamos os treinamentos em outubro e este ano não contratamos ninguém”, lamenta o representante do sindicato, proprietário da Caçapé Calçados.

“O trabalho temporário é fundamental para a economia, sobretudo em tempos de crise econômica, porque encurta e facilita o encontro entre candidatos e vagas. O contingente de desempregados não para de crescer”, destaca.

Expectativa de vendas
O proprietário da Loja Nelson, Isaac Ghizoni Tonon, conta que precisa contratar no período do fim de ano. “Já começamos os treinamentos, mas a contratação será só no próximo mês. Tenho uma boa expectativa de vendas para o período, claro que dentro da realidade econômica do país. Mas não quero deixar os clientes na mão e por isso optei em contratar mais vendedores”, salienta Isaac.

Números
O comércio em Tubarão admitiu 587 pessoas em outubro do ano passado e demitiu 560. Neste ano, foram 388 contratações e 340 desligamentos. Em novembro de 2014, o crescimento de admissões no comércio foi positivo em 141 vagas.

Pesquisa
Segundo pesquisa feita pelo SPC-Brasil, nove em cada dez empresários não contratarão no fim do ano. A baixa intenção de contratar tem a ver com a alta taxa de pessimismo com relação às vendas.