Zahyra Mattar
Tubarão

Em um ano marcado pelo início de uma crise financeira mundial – e agravada em Santa Catarina pelas enchentes no fim de novembro – o comércio do estado registrou, no acumulado dos 12 meses, um movimento 8% maior em relação a 2007. Os números são da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC). “O resultado do ano ficou acima de nossa expectativa, que era de 7%”, comemora o presidente Sergio Medeiros.

No início de dezembro, a entidade chegou a rever as estimativas e esperar um crescimento de até 5%, devido aos prejuízos no Vale do Itajaí. “Ainda faltam alguns dias para termos o volume consolidado de vendas, mas podemos afirmar que 2008 foi um ano muito positivo para o varejo”, salienta Medeiros.

Em Tubarão, os números também são considerados positivos pelo presidente da CDL, Walmor Jung Júnior. A cidade fecha 2008 com incremento de 7% nas vendas, exatamente a meta estimada pelo órgão, ainda em novembro. “As contratações de temporários em novembro já dava mostras de que os comerciantes confiavam nas boas vendas”, rechaça.

No país, as vendas de Natal no varejo cresceram 2,8% entre os últimos dias 18 e 24, na comparação com o mesmo período do ano passado. Em 2007, a alta das vendas do comércio brasileiro na época do Natal foram mais expressivas: 5,3% ante o mesmo período do ano anterior. Na avaliação da Serasa, os juros altos e o maior endividamento levaram o consumidor a uma atitude mais cautelosa na hora da compra, principalmente em relação ao crédito e aos produtos de maior valor.

A entidade destaca que as instituições financeiras e o varejo também foram mais conservadores na concessão de crédito. A projeção para 2009 também é animadora. Conforme a FCDL/SC, mesmo com o desaquecimento na economia em função da crise, o comércio poderá crescer entre 4% e 5% em 2009 frente a este ano.

A opinião é compartilhada pelo presidente da CDL de Tubarão. “O brasileiro tem tradição de trocar presentes e, com o dinheiro do décimo terceiro salário, as pessoas tendem a comprar mais, mesmo em um momento de certa instabilidade. Essas compras aumentaram também a confiança dos comerciantes e da indústria”, analisa o presidente Walmor Jung Júnior.

Natal mantém números de 2007
Apesar de muitos municípios terem alcançado bons números neste fim de ano, as vendas de Natal em Santa Catarina não apresentaram variação significativa em relação a 2007. Os dados são do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC/SC).
Os prejuízos com as enchentes foram determinantes para que o comércio de cidades como Blumenau, Itajaí e Joinville tivessem um resultado inferior ao registrado no Natal passado.
Por outro lado, nas cidades que não foram afetadas pelas chuvas (oeste, planalto e sul do estado), o período foi bom e houve crescimento das vendas.