Em assembleia, ontem à noite, os empregados do comércio de Tubarão rejeitaram a proposta de realizar dois eventos Dia D por mês  - Foto:Cíntia Teixeira/Sindicato dos Comerciários/Notisul
Em assembleia, ontem à noite, os empregados do comércio de Tubarão rejeitaram a proposta de realizar dois eventos Dia D por mês - Foto:Cíntia Teixeira/Sindicato dos Comerciários/Notisul

 

Zahyra Mattar
Tubarão
 
Ao que tudo indica, um novo embate entre os sindicatos dos Comerciários de Tubarão e Região e o patronal (Sindilojas) está prestes a começar. Ontem, por unanimidade, os trabalhadores rejeitaram a proposta de realizar, por mês, dois eventos Sábado é o Dia D, organizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Tubarão.
 
A intenção dos dirigentes do órgão patronal do comércio é efetuar as duas edições mensais a partir deste mês, até novembro.
 
“Esperamos que o público consumidor não colabore com esta situação, a qual consideramos de extremo autoritarismo. Em Tubarão, há um pequeno grupo de empresários que quer escravizar a classe comerciária”, protesta a presidenta do sindicato dos trabalhadores, Elizandra Anselmo.
 
Neste sábado, durante a edição do Dia, a entidade fará uma manifestação, onde pedirá que a população boicote o comércio. O pedido será para que os tubaronenses efetuem as suas compras apenas durante a semana ou no próximo sábado – data original do Dia D – em sinal de respeito ao trabalhador do comércio.
 
Conforme Elizandra, o acordo com o Sindilojas, firmado ainda durante as rodadas de negociações salariais, entre o fim de 2011 e o começo deste ano, era de que o calendário festivo do município não seria alterado em relação ao do ano passado. 
 
“É um absurdo. Não existe motivo para abrir dois fins de semana por mês em horários estendido. Neste sábado, por exemplo, a circulação de dinheiro certamente não será grande. Especialmente porque o quinto dia útil do mês é na próxima segunda-feira. O movimento vai ser de gente olhando vitrine, e não comprando”, avalia a presidenta.