Zahyra Mattar
Tubarão

Nome: Tatiana Felácio Oliveira. Profissão: psicóloga.
Nome: Maria das Graças Vargas. Profissão: Assistente social.
Nome: Zulmar Barbosa Corrêa. Profissão: Pedagoga.

O começo da matéria é assim mesmo, um pouco diferente do convencional. Mas é válido porque as três moças aí de cima são as responsáveis por números até então inalcansáveis na educação de Tubarão.

Há três meses, quando a prefeitura de Tubarão assinou um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com o Ministério Público, para efetivar o programa de Combate à Evasão Escolar e Incentivo à Permanência na Escola, ninguém sabia ao certo a quantidade de crianças fora do banco escolar.

Na verdade, este dado ainda não existe. Até o fim do ano, um diagnóstico mais preciso neste sentido será feito, assim como um levantamento dos principais motivos que culminam no abandono da escola.

O que se sabe até agora é que nas quatro escolas piloto do programa (Visconde de Mauá, João Teixeira Nunes, Manuel Rufino Francisco e São Martinho), 50 casos foram revertidos. Para isso, foram feitos nada menos do que 150 atendimentos individualizados (seja na escola, à criança ou ao adolescente, ou à família).

“O esforço valeu a pena. É um trabalho formiguinha mesmo. Cada criança ou adolescente que volta à escola é uma conquista não somente do programa, mas principalmente da sociedade”, valoriza a pedagoga e coordenadora do programa, Zulmar Barbosa Corrêa.

Com o resultado acima do esperado, o programa será ampliado, em 2011, para 20 escolas públicas municipais e 23 estaduais. O equivalente ao acompanhamento de 16 mil alunos.