Ainda que entenda a decisão da GMT, o prefeito em exercício Pepê Collaço pedirá que o grupo retorne a atuar na coordenação do trânsito nos horários de pico.
Ainda que entenda a decisão da GMT, o prefeito em exercício Pepê Collaço pedirá que o grupo retorne a atuar na coordenação do trânsito nos horários de pico.

Zahyra Mattar
Tubarão

Um dos assuntos na pauta da reunião de hoje entre o prefeito em exercício de Tubarão, Pepê Collaço (PP), e os 42 membros da Guarda Municipal, será a compra dos equipamentos de segurança para o grupo.

O encontro é uma missão imposta pelo titular Manoel Bertoncini para Pepê, antes de sair de férias, na última sexta-feira. Tanto, que ficou para o prefeito em exercício assinar, na tarde de hoje, o edital à aquisição dos coletes balísticos.

A estimativa é que estes equipamentos cheguem até a última semana do próximo mês. “Assim que houver o resultado, já assinaremos o contrato de compra junto da empresa vencedora”, destaca Pepê.

Quanto a aquisição das armas, a prefeitura acerta, nesta semana, os detalhes para a compra. Neste caso provavelmente não será necessário uma licitação, o que simplifica muito o processo.

Isto porque a Polícia Federal (PF) fez especificações quanto ao tipo de armamento que as guardas municipais no país podem utilizar. E são estas informações e demais necessidade que serão buscadas junto a PF esta semana.

“Neste caso a burocracia é muito menor porque se a pistola A é fabricada pela empresa B, só podemos comprar dela, então não exige aquele longo processo. Anunciaremos qual o passo-a-passo assim que tivermos todas as informações”, resume o prefeito em exercício.

Guardas retornam hoje ao trabalho
A Guarda Municipal de Tubarão está fora de circulação desde o último dia 10, quando o colega Marcelo Goulart da Silva, 33 anos, foi assassinado após um assalto em uma relojoaria na avenida Marechal Deodoro (beira-rio da margem direita). Desde então, o grupo está recluso e faz apenas trabalhos internos, ainda que boa parte da sociedade clame pela volta deles.

Na reunião de hoje entre os 42 guardas municipais e o prefeito em exercício Pepê Collaço (PP), também estará na pauta o pedido para que o grupo reconsidere a decisão de não voltar ao trabalho.

Ontem, contudo, a GMT antecipou, via twitter, que voltará, nesta semana, a atuar junto das instituições que ficaram desguarnecidas. Caso, por exemplo, no Albergue Noturno Pousada da Paz, Delegacia de Trânsito, Centro de Apoio Psicossocial (Caps) e Museu Willy Zumblick, entre outro pontos.