Lixo foi coletado parcialmente ontem e hoje deve ser suspenso por falta de pagamento  -  Foto:Divulgação/Notisul
Lixo foi coletado parcialmente ontem e hoje deve ser suspenso por falta de pagamento - Foto:Divulgação/Notisul

Kalil de Oliveira
Laguna

Quatro motoristas e 14 garis estão bastante aflitos com o novo capítulo da falta de pagamento da prefeitura de Laguna à empresa Louber, responsável por parte da coleta de lixo no município. São R$ 525 mil em dívidas que só não interromperam os serviços antes porque agora a justiça da Cidade Juliana decidiu intervir.

Segundo a Louber, no último sábado a empresa até interrompeu os trabalhos, preocupada com o acúmulo das dívidas somadas às horas extras dos funcionários por ser fim de semana. Foi quando chegou uma ordem judicial que exigia a retomada da coleta de lixo. Além disso, o documento  estabeleceu multa de R$ 10 mil por dia em caso de descumprimento.

“A empresa não tem mais condições de funcionar. Não é uma questão de querer ou não querer. Não dá mais para abastecer os caminhões no posto. Não temos mais crédito. Os nossos caminhões estão aqui parados na porta do aterro, que não permite mais descarregar sem receber”, lamentou um representante da empresa.

Uma audiência de conciliação foi marcada para a próxima quarta-feira. “Estamos com a expectativa, mas sabemos que será bem difícil”, avalia.

Entenda
Na semana do dia 15  de agosto, a Louber teve a conversa com a secretaria de finanças que resultou em uma proposta de parcelamento da dívida. No encontro, a prefeitura de Laguna se comprometeu em pagar R$ 50 mil por semana para cobrir os mais de R$ 525 mil atrasados aos poucos.

No dia 31 de agosto, com duas semanas de atraso, a empresa interrompeu a coleta e a prefeitura depositou R$ 59 mil para a atividade reiniciar. O último pagamento foi em 9 de setembro, na ordem de R$ 80 mil e, desde então, não houve mais repasses ou justificativas. O Notisul não conseguiu um contato coma prefeitura de Laguna ou o representante do fórum.