A rua Padre Bernardo Freuser foi uma das alagadas com a chuva
A rua Padre Bernardo Freuser foi uma das alagadas com a chuva

Tubarão

Mais de 50 ruas de Tubarão ficaram alagadas com a chuva de ontem.  A água chegou a entrar em algumas casas. Até as 20h50min, 82 mm de chuva haviam caído na cidade. Nos outros 17 dias do mês, foram 68mm. 

A Defesa Civil foi dividida em duas equipes para atender todas as ocorrências. Caminhões e máquinas foram disponibilizados para o atendimento. Os bairros Oficinas, Centro, Morrotes, Santo Antônio de Pádua, São Martinho, Humaitá, Caruru e Andrino foram bastante afetados. Ruas do centro da cidade, como a Tubalcain Faraco (onde fica o Notisul), que chegaram a ser interditadas. O estacionamento do supermercado Giassi também foi fechado. 
 
Janice Medeiros Nunes Mateus, 40 anos, moradora do bairro São Martinho, conta que os vizinhos ficaram com 30 centímetros de água nas casas. A rua Margarida Mendes Nunes, onde vive, sofre há anos com problemas de drenagem. O carro da moradora chegou a ser coberto parcialmente pela lama. Moradores fizeram valas na rua para evitar que a água chegasse às casas.
 
De acordo com o coordenador da Defesa Civil Municipal, José Luiz Tancredo, as bombas que retiram água das ruas Tubalcain Faraco e Padre Geraldo Spettmann (da rodoviária) não puderam ser ligadas porque o nível do rio estava baixo e elas poderiam queimar. 
 
Em Oficinas, a água entrou nas residências da rua Felipe Schmidt. No Andrino, os bombeiros precisaram retirar uma mulher de dentro de casa e levá-la para o vizinho. Ela estava imobilizada devido a um acidente e a água já invadia o pátio de sua residência. 
 
Na comunidade de Caruru, no bairro São Martinho, uma pedra deslizou da encosta do morro e quase atingiu uma casa.  Em uma casa do mesmo bairro, a água infiltrou-se pelo telhado e duas crianças precisaram ser retiradas. Na rua Simeão Esmeraldino, próxima à rodoviária, o tráfego de veículos ficou impedido por conta do grande volume de água.
A previsão do tempo indica chuva até sexta-feira. 
 
Com água até os joelhos
Comerciantes e trabalhadores ficaram ilhados nas ruas Tubalcain Faraco (do Notisul) e Padre Bernardo Freuser (da Escola Técnica). O aposentado Antonio José Goulart Neto, 53 anos, deixou o carro no estacionamento Center Park às 18h40min. Ele esperava a chuva diminuir para poder retornar para casa. Contudo, às 19 horas, a rua ficou alagada. “Está um cheiro forte de esgoto e não me arrisco nesta água”, afirmou. Somente por volta das 22 horas o local foi liberado para a circulação de carros. 
Um motorista chegou a abandonar o veículo no meio da Tubalcain Faraco. O carro baixo não conseguiria atravessar a barreira d’água. 
A auxiliar administrativo Íres Bevilaqua, 41, também ficou ilhada no prédio do estacionamento. “Fiquei 20 minutos a mais no trabalho e acabei presa. Ocorreu a mesma coisa no ano passado”, relata. 
Para realizar a cobertura dos alagamentos, a equipe do Notisul precisou entrar na água, em alguns pontos até os joelhos.