Amanda Menger
Tubarão

Quem resolveu tirar férias este mês não deve ter aproveitado muito, ainda mais se o destino foi o litoral. A quantidade de chuva que caiu até agora ultrapassou a média histórica do estado.

Eram previstos 209 milímetros para a região, porém, somente até ontem, a estação meteorológica da Epagri em Urussanga – que faz as previsões para o sul catarinense – registrava 212 milímetros às 9 horas, quando foi atualizada a contagem.
Contudo, a previsão é que chovesse mais 60 milímetros até o início desta manhã. Se a previsão se confirmar, isso significa que choveu 30% acima da média.

“Estamos em um período do ano favorável a este tipo de comportamento climático. Está quente e muito úmido. Esta umidade vem do mar, há uma massa de ar frio e úmido sobre o oceano e os ventos de leste empurram toda essa umidade para o continente. Por isso a grande quantidade de chuva”, explica o meteorologista do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram/Epagri), Maurici Monteiro.

Em Florianópolis, a média histórica também foi superada, em 60%. Já no oeste, a situação é contrária: de estiagem. Na região, choveu apenas 12% do esperado, 25 milímetros dos 204 previstos. Alguns municípios decretaram estado de emergência: Seara, São Domingos, Maravilha e Itapiranga. “No oeste, há influência do fenômeno La Ninã (esfriamento das águas do oceano Pacífico). Isso diminui a umidade naquela região e, conseqüentemente, provoca a seca”, esclarece o meteorologista.