Zahyra Mattar
Tubarão

Ainda que o trâmite do relatório da Comissão Especial de Inquérito (CEI) instaurada pela câmara de Tubarão, para as denúncias que pesam sobre o vereador Geraldo Pereira (PMDB), o Jarrão, tenha sido finalizado – o documento foi aprovado no fim do mês passado – e encaminhado ao Ministério Público (MP) e ao Tribunal de Contas do Estado (TCE/SC), os órgãos do judiciário ainda não finalizaram suas respectivas apurações.

No MP, havia a possibilidade de uma manifestação do promotor Fábio Fernandes de Oliveira Lyrio nesta semana. Contudo, as diligências ordenadas por ele ainda não chegaram ao fim. Quanto à investigação paralela aberta pelo TCE, um novo passo deverá ser dado na próxima semana.

Jarrão e sua assessora, Cynara Guimarães Antunes, também citada no inquérito por má uso de verba pública, foram citados para apresentar as suas respectivas defesas no dia 11 de outubro. O prazo para isso termina na próxima terça-feira.
A citação deles foi a pedido da área técnica do tribunal, que elaborou o relatório referente às denúncias de mau uso do dinheiro público. O setor constatou a possibilidade de irregularidades. O tribunal não revela quais seriam elas.

Após a análise da defesa, o relatório técnico segue para o Ministério Público (MP), volta para o relator e, por último, é apreciado pelo pleno do TCE. Caso haja entendimento de que sejam culpados de alguma das irregularidades, as penas são imputadas. Eles podem ser, por exemplo, obrigados a devolver o dinheiro gasto na viagem (R$ 4.300,82) e pagar multa.