A rede hoteleira de Laguna é disponibiliza, aproximadamente, quatro mil leitos. A maioria dos hotéis e pousadas estão no principal balneário, o Mar Grosso. São cerca de 1,9 mil leitos
A rede hoteleira de Laguna é disponibiliza, aproximadamente, quatro mil leitos. A maioria dos hotéis e pousadas estão no principal balneário, o Mar Grosso. São cerca de 1,9 mil leitos

Zahyra Mattar
Laguna

As perspectivas para o setor turístico da região são ótimas este ano. E tudo é traduzido em números. Nesta temporada, já é registrado um acréscimo de 30% nas hospedagens em Laguna, no comparativo com o ano passado. No Natal e no Ano-Novo, por exemplo, nem um colchão sobrou. Todos os hotéis e pousadas estavam lotados.

Agora, outra festa que movimenta a atividade aproxima-se: o Carnaval. As reservas começaram a ser feitas ainda no ano passado. Agora, 80% dos estabelecimentos estão com 100% dos leitos ocupados. “Estimamos que haja menos de 15% de vagas disponíveis ainda. Até o fim desta semana a maioria deverá estar ocupada”, comemora o presidente da Associação dos Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares de Laguna, Peterson Crippa.

Outro boa comparação que demonstra a retomada do setor é que a queda na ocupação dos hotéis e pousadas na segunda quinzena deste mês não foi tão acentuada como nos últimos dois anos. “Em janeiro sempre existe uma baixa nas reservas neste período. Desta vez, porém, os estabelecimentos ficaram, em média, com 90% de ocupação entre 25 de dezembro e 25 deste mês”, compara Crippa.

Laguna poderá ter taxa de turismo

A tentativa frustrada de implantação de uma taxa de turismo em Laguna não desanimou os gestores da prefeitura. Em breve, um novo projeto para instituir a cobrança nos setores relacionados ao trade turístico (hotéis, bares, restaurantes e similares) será enviado na câmara. O anterior, apresentado no fim do ano passado, foi retirado da pauta.

“A intenção é cobrar 1,5% por hospedagem. A verba servirá para reforçar o Fundo Municipal de Turismo. É uma necessidade porque a arrecadação é restrita, hoje, ao alvará e isso é pouco para investirmos no que mais precisamos: infraestrutura”, considera o secretário de turismo e lazer da prefeitura, Danilo Prudêncio da Costa.