Zahyra Mattar
Tubarão

Na edição do dia 24 de setembro, o Notisul já havia adiantado, com exclusividade, que o prefeito de Tubarão, Manoel Bertoncini (PSDB), faria corte de pessoal para manter o equilíbrio financeiro do executivo. Ontem, uma reunião convocada por ele com os presidentes dos partidos que formam a coligação (PTB, PPS, PDT, PP e PSDB), mais os cinco vereadores da situação, teve como objetivo definir como, onde e quando estes cortes serão feitos.

A parte do “como” será definida por um levantamento que começará a ser feito na próxima semana por uma comissão a ser nomeada por Manoel. O “quando”: dia 30 do próximo mês. “Onde”: em todos os setores. Neste caso, salienta o assessor especial do prefeito e presidente do PDT, Ronério Cardoso, todos os partidos sofrerão baixas proporcionais e de percentuais iguais.

“Obviamente, quando você tem que demitir alguém, é uma situação difícil. Não são somente trabalhadores, são pais e mães de família. Mas, no momento, é necessário para que tudo volte aos eixos. Não passamos por uma fase de falta de dinheiro, o problema é que não sobra dinheiro”, pontua Ronério.
O salário e o 13º dos trabalhadores está garantido, confirma Ronério. Além disso, os cortes serão feitos entre os 241 servidores em cargos comissionados que a prefeitura mantém hoje, e não sobre os efetivos. O percentual de demitidos será o mesmo para cada partido da coligação.

“O estudo ainda será feito, mas já definimos que as decisões terão embasamento unicamente técnico. Sugeri para o prefeito que escolha alguém sem ligação partidária para fazer este levantamento”, destaca Ronério.
Também ficou definido que a prefeitura voltará a atuar oito horas por dia, provavelmente das 8 horas ao meio-dia e das 14 às 18 horas (leia mais na página 7 desta edição).

Reforma administrativa
Além de definir os cortes inevitáveis a serem feitos no dia 30 do próximo mês, o estudo a ser feito pela comissão que será designada pelo prefeito Manoel Bertoncini (PSDB) terá outra missão: efetuar a reforma administrativa na prefeitura. “O encontro de hoje (ontem) não serviu somente para tomar esta decisão difícil (demitir os comissionados), mas também para avaliar o ano da administração. Temos que frear o uso do telefone para coisas pessoais. O material de expediente é desperdiçado. São várias situações que precisam ser melhorar. Se economizarmos 30% em cada setor, a situação se normaliza em pouco tempo”, acredita o presidente do PDT e assessor especial do prefeito, Ronério Cardoso.