Zahyra Mattar
Capivari de Baixo

Não se fala em outra coisa em Capivari e Baixo. O gasto de R$ 46.912,00, entre os dia 3 de março e 4 de abril deste ano, feito pela câmara de vereadores, rende uma série de especulações, algumas inclusive maldosas, contra os representantes eleitos pelo povo. Uma lista com o nome dos vereadores e seus respectivos gastos neste período começou a circular e colocou em cheque a presidência do vereador Valmiro Miranda da Rosa (PMDB), o Bila.

Ele confirma a veracidade da lista (tanto que autorizou a publicação) e justifica os gastos considerados altos pela população: “Não foi gasto, foi investimento para a cidade. Todo este dinheiro, tanto para o pagamento de diárias para os vereadores como para alguns funcionários, é relativos a cursos. A documentação está aberta a quem quiser conferir cada centavo. Tenho nota fiscal de tudo e ainda anexei uma cópia do certificado de cada curso feito, seja pelos vereadores, seja pelos funcionários”, afirma o presidente.

Os cursos foram feitos, na maioria, em Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre. Em quase todos os casos, o trajeto foi feito com o carro da câmara. “Precisamos destas capacitações. Há muitas novidades quanto ao plano plurianual, por exemplo. Como votaremos isso se desconhecemos a lei? Além disso, todos os vereadores tiveram oportunidade de participar. Tanto que, se observar a lista, foram tanto os colegas da situação quanto os da oposição”, pontua Bila.

O presidente da câmara se diz tranquilo e apto a informar sobre os gastos, inclusive, à justiça. “Temos como justificar cada centavo. Ninguém passou a mão no dinheiro da câmara. Além disso, o duodécimo é para isso: investir em cursos e estrutura, entre outros itens. Acredito que o povo de Capivari não quer vereador burro. Ou quer?”, indaga Bila, em tom desafiador.

O que é duodécimo?
É a quantidade da arrecadação repassada à câmara, por lei, pela prefeitura, sobre o total arrecadado em impostos. Em Capivari, o valor mensal é de R$ 175 mil.

Novos gastos com cursos são anunciados

Assim que os gastos de quase R$ 47 mil em diárias, feitos pelos vereadores de Capivari de Baixo, começaram a ser questionados, o presidente da casa, Valmiro Miranda da Rosa (PMDB), o Bila, afirma que foi procurado por oito colegas. “Convocaram-me para uma reunião para disponibilizarem apoio. A câmara nunca esteve tão unida como agora. Há respeito entre os colegas. Todos ficamos bastante chateados”, confere o presidente.

Bila avisa ainda que outros gastos estão previstos, mas tudo em conformidade com o orçamento mensal da casa. “Em breve, vamos para Criciúma. Vou alugar uma vã porque todos os colegas querem ir. É uma palestra sobre prestação de contas que será ministrada pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE)”, ressalta.