Amanda Menger
Tubarão

O próximo presidente da câmara de vereadores de Tubarão deverá ser mesmo Edson Firmino (PDT). O acordo entre os eleitos da base aliada (PDT, PP e PSDB) deverá ser mantido. A informação foi confirmada em nota oficial ontem, pelo Partido Progressista.

“Existem alguns disque-me-disque de que o acordo não seria cumprido. Queremos deixar bem claro que isso não ocorrerá. O PP, da sua parte, vai cumprir com o que foi prometido ao prefeito eleito, Dr. Manoel Bertoncini (PSDB)”, afirma o presidente do diretório municipal do PP, Benito Botega.

Na última semana, cresceram os rumores de que o acordo poderia ser rompido, equilibrando a disputa entre a base aliada, composta por seis vereadores (Deka May – PP, Dionísio Bressan – PP, Nilton de Campos – PSDB, João Fernandes – PSDB, João Batista de Andrade – PSDB e Edson Firmino – PDT), e a oposição, com os outros quatro eleitos (Ivo Stapazzol, Mauricío da Silva, Geraldo Pereira e Evandro Almeida, todos do PMDB). Esta suposta virada de mesa poderia ocorrer na sessão extraordinária da câmara marcada para hoje, com uma alteração no estatuto da casa.

“Nem fui informado que terá uma sessão extraordinária, muito menos que será para mudar o estatuto da câmara”, garante o vereador Maurício da Silva. O vereador Edson Firmino (PDT) confirmou a reunião extraordinária. “Há alguns encaminhamentos do executivo para serem votados. Mas não está confirmado que iremos discutir uma mudança no estatuto”, relata.

Para Edson, o acordo continua de pé. “O que foi combinado está mantido. O vice será João Fernandes, do PSDB, e a mesa diretora poderá ter a contribuição de outros partidos, incluindo o PMDB”, afirma.
O assessor do prefeito eleito, Evaldo Tonelli, garante que não há mudanças no trato. “Até onde sei, esta sessão é para tratar de alguns pedidos do prefeito Carlos Stüpp (PSDB) relativos ao orçamento de 2009. O acordo entre os partidos aliados será mantido, não houve nenhuma alteração no que foi combinado com o Dr. Manoel”, garante Evaldo.