A rodovia SC-438, entre Tubarão e Gravatal, continuará assim: esburacada.
A rodovia SC-438, entre Tubarão e Gravatal, continuará assim: esburacada.

Zahyra Mattar
Tubarão

Quem sabe com o requerimento conjunto dos deputados Joares Ponticelli (PP) e José Nei Ascari (DEM), o primeiro dos dois parlamentares este ano, a ordem de serviço para a recuperação de parte da SC-438, entre a BR-101, em Tubarão, e Gravatal, seja, enfim, expedida.
A rodovia está cheia de crateras, que aumentam de tamanho com tanta chuva. A região cobra a recuperação da estrada, principal ligação litoral com o Vale do Braço do Norte e instâncias termais de Gravatal há bastante tempo.

A licitação para a obra foi finalizado no dia 9 de novembro do ano passado. A vencedora foi a empresa Coenco Engenharia e Construções, de Criciúma. A redação do Notisul buscou informações junto ao Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), ontem, de quando a ordem de serviço pode ser entregue.
Não há nenhuma. A concorrência pública, na modalidade tomada de preço, foi aberta com valor máximo de R$ 1.499.368,93. A Coenco fará a obra por R$ 1.446.436,60. O mesmo ocorre com a SC-100, entre a balsa de Laguna e o Camacho, em Jaguaruna, com um ramal para o Farol de Santa Marta.

Neste caso, porém, a ordem de serviço foi entregue no dia 19 de dezembro do ano passado. Até o momento, as empresas vencedoras não montaram seus respectivos canteiros de obras. A SC-100 é um dos trechos integrantes de um projeto muito antigo do governo do estado: a efetivação da chamada rodovia Interpraias.

A SC-438
• O edital 108/2010, que prevê a execução da recuperação descontínua (no popular: tapa-buracos reforçada) do pavimento da SC-438, no trecho Gravatal – Tubarão, além de serviço de sinalização horizontal (pintura das faixas) e fornecimento de materiais asfálticos, foi lançado no dia 14 de outubro.
• A licitação foi na modalidade tomada de preços. A abertura das propostas técnicas à habilitação das interessadas e de preços ocorreu no dia 5 de novembro e o resultado foi publicado no dia 9.
• A empresa vencedora, a Coenco Engenharia e Construções, de Criciúma, terá até 240 dias para iniciar e finalizar os trabalhos.

A SC-100
• A parte em asfalto compreende o trecho de 15,540 quilômetros entre a balsa, em Laguna, e o Camacho, em Jaguaruna. A obra será executada pela Construtora Setep, de Criciúma. O valor do trabalho ficou em R$ 20.929.047,40.
• Já a A. Mendes, de Gravatal, terá a missão de pavimentar, com paralelepípedos, os 2,280 quilômetros de acesso ao Farol de Santa Marta. O valor licitado foi de R$ 2.770.115,66.
• O Plano Ambiental Básico e a supervisão dos trabalhos serão feitos pela Prosul, de Palhoça. A empresa venceu as duas licitações. A primeira custará R$ 4.263.961,85 e a segunda receberá investimento de R$ 2.492.353,44. A previsão de término dos serviços em ambos os lotes é de um ano.