O prefeito Luiz Carlos Brunel Alves, levou os representantes da empresa italiana Nannaò para uma visita à cidade. Foto: Prefeitura de Capivari de Baixo/Divulgação/Notisul
O prefeito Luiz Carlos Brunel Alves, levou os representantes da empresa italiana Nannaò para uma visita à cidade. Foto: Prefeitura de Capivari de Baixo/Divulgação/Notisul

Angelica Brunatto
Tubarão

O prefeito de Capivari de Baixo, Luiz Carlos Brunel Alves, espera para os próximos dias a visita de representantes da Cimolai à cidade. Ele anunciou, esta semana que o município possui três terrenos, já recuperados, para oferecer à empresa italiana.
Todos estes espaços estão localizados próximos à BR-101. Alguns pertencem a outras empresas, como a Celesc, Cocalite e a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN). São terras que variam entre 20 e 300 hectares.

A proposta de Brunel veio após a empresa anunciar, de forma oficial, a desistência de se instalar em Tubarão. Mas, por enquanto, são apenas conversas.
E negociações também ocorrem com Imbituba. As tratativas com a Santos Brasil já avançaram. O terreno, às margens da BR-101, já foi visitado por técnicos da Cimolai ao menos três vezes.
Nenhum documento foi assinado ainda. Os representantes estudam o que pode ser construído no local de acordo com o plano diretor de Imbituba. Por isso, o plano é investigado detalhadamente. Além deste estudo, as empresas trabalham nas questões jurídicas.

Respostas devem ser reveladas em breve. Dentro de 15 dias, o contrato com a Santos Brasil. A italiana pretende começar a construção da fábrica logo, já que no início de 2013 deve estar com a linha de produção em funcionamento. Há contratos para serem cumpridos.
Criciúma também apresentou proposta. Mas a localização geográfica dificulta a instalação da fábrica. A intenção é estar próxima do Porto de Imbituba e da linha férrea, para facilitar a escoação da produção. 

Outra italiana pode se instalar na cidade