As obras de duplicação da BR-101 no trecho sul estão paralisadas entre Capivari de Baixo e Laguna.
As obras de duplicação da BR-101 no trecho sul estão paralisadas entre Capivari de Baixo e Laguna.

Priscila Alano
Tubarão

O contrato do consórcio que executa a duplicação da BR-101 entre Laguna e Capivari de Baixo pode ser rescindido. A não ser que o Blokos/Araguaia/Emparsanco retome as obras, paralisadas há alguns dias. “Poderemos realmente tomar uma medida mais drástica caso não retomem os trabalhos”, alerta o supervisor do Dnit para região sul, engenheiro Avani Aguiar de Sá.

Segundo Avani, o governo tem pago as empreiteiras em dia, mas o consórcio responsável pelas obras no lote 25 passa por problemas administrativos. Algumas empresas, inclusive, alegam ter dívidas para cobrar do consórcio.
No fim do ano passado, três passagens inferiores foram liberadas para o tráfego de veículos neste trecho: as passagens de acesso a Nova Fazenda, ao Estreito e à Praia do Sol, todas em Laguna. O lote tem 29,9 quilômetros de extensão – 10,5 quilômetros de pista estão duplicados e liberados para o tráfego de veículos.

A meta do Dnit é que até o fim do ano toda a duplicação (pistas) esteja liberada. Com exceção do lote 29, que integra o elevado de Maracajá e a duplicação entre Araranguá e Sombrio. Quanto às três obras de artes especiais – Ponte de Cabeçudas, em Laguna; túnel do Morro do Formigão, em Tubarão; e os dois túneis no Morro dos Cavalos, em Palhoça – a conclusão é prevista apenas para 2013.

Ponte de Cabeçudas
O projeto da ponte de Cabeçudas, sobre o canal de Laranjeiras, em Laguna, continua emperrado nos detalhes ambientais. O supervisor do Dnit para a região sul, Avani Aguiar de Sá, afirma que esta parte da duplicação ainda é analisada por técnicos do departamento, em Brasília. A ponte terá 400 metros de extensão. A obra total, orçada em R$ 400 milhões, compreende 2.825 quilômetros de comprimento.

Morro do Formigão
Mais uma previsão falhou. A estimativa era lançar o edital de licitação do túnel no Morro do Formigão, em Tubarão, esta semana. Mas falta a licença ambiental de operação. A obra especial está prevista no projeto de duplicação da BR-101. O supervisor do Dnit para a região sul, Avani Aguiar de Sá, explica que, assim que as licenças forem liberadas, o edital será lançado. “O edital deve ser lançado em breve. Nossa meta é iniciar as obras ainda este ano”, declara Avani. O túnel terá 500 metros de extensão e está orçado em R$ 50 milhões.

Via lateral recebe defensas metálicas

A via paralela à BR-101, em Sangão, é um dos trechos que já contam com as defensas metálicas instaladas pelo Dnit. Como apresenta um desnível acentuado em relação à rodovia, foi realizada a instalação de estruturas para evitar eventuais acidentes como queda de veículos. A via serve de acesso a indústrias cerâmicas, a um posto de combustíveis e residências.

Com as defensas, os motoristas e pedestres contam com mais opção de segurança. O viaduto de acesso a Morro Grande, ainda em Sangão, também recebeu a instalação das defensas.
A instalação das defensas é feita em pontes, viadutos e ruas lindeiras que estejam em desnível com as pistas duplicadas da BR-101 sul.

Viaduto principal receberá camada asfáltica

A cabeceira de sentido norte-sul, do viaduto de acesso a Tubarão deve receber a camada asfáltica no início do próximo mês. Com a aplicação de todas as camadas bases, os trabalhos evoluem para a conclusão do acesso.

Os trabalhos de aterro seguem na cabeceira do sentido sul-norte, onde são iniciados os trabalhos de edificação dos taludes. A construtora Triunfo, responsável pela obra, acelera a aplicação de aterro na cabeceira, para que seja concluído o acesso da rodovia ao viaduto. O projeto do aterro nesta parte foi modificado e é utilizado o núcleo de poliestireno expandido (EPS), material leve, à base de isopor, que solucionará o problema. Técnicos do Dnit observaram uma baixa resistência do solo, no lado sul. A previsão é que o viaduto seja concluído em outubro deste ano.