Zahyra Mattar
Tubarão

Os clientes que pretendem ir ao banco hoje devem entrar em contato com o seu gerente para saber se a agência estará aberta. Em assembléia na noite de ontem, mais de 135 funcionários de bancos da área de abrangência do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Tubarão e Região (veja os municípios no quadro abaixo), em Tubarão, votaram por engrossar o movimento grevista iniciado no país, em alguns locais, já na última semana. Caso da Bahia, por exemplo, onde a paralisação entra hoje no décimo dia.

Está confirmada a parada da maioria dos funcionários da Caixa Econômica, Besc, Banco do Brasil e Banrisul. Cerca de 500 trabalhadores destes bancos, na região, deverão “amanhecer de braços cruzados”. As agências do setor privado não confirmaram, mas também não desconfirmaram a participação na greve. “A partir de amanhã (hoje), faremos assembléia diárias, às 17 horas, para acompanhar as negociações e também avaliar o movimento na região”, confirma o presidente do sindicato da categoria, Armando Machado Filho.

A greve foi motivada, explica Armando, pela falta de negociação com os bancos. Os bancários reivindicam reajuste de 16% nos salários, maior participação nos lucros, revisão do plano de carreiras e salários, entre outras pautas que contemplam cláusulas sociais, sindicais e de saúde. Desde agosto, quando iniciaram as reuniões, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) apresentou uma única proposta: 7,5% de reajuste para todos os benefícios. Os bancários não aceitaram e, desde então, as negociações não avançaram.

Liminar favorável ao Bradesco continua a valer
A liminar emitida no dia 30 de setembro pela justiça do trabalho de Tubarão, favorável ao Bradesco, continuará válida durante a greve dos funcionários, votada na noite de ontem e deflagrada hoje. A ação concessória Interdito Proibitório foi interposta em várias cidades do país com o intuito de proibir a manifestação e a colocação de cartazes na fachada das agências.

A resposta da justiça foi positiva, ou seja, a liminar foi concedida, mas não em sua plenitude. “O juiz entendeu que podemos nos manifestar em frente ao banco e colar os cartazes desde que seja de maneira ordeira. A categoria nunca fez greves de outra forma. Então, isto não afeta o movimento. Pelo contrário, achamos positivo”, destaca o presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Tubarão e Região, Armando Machado Filho.