Zahyra Mattar
Tubarão
 
A prefeitura de Tubarão conseguiu, em novembro do ano passado, a prorrogação do prazo para a entrega do bendito projeto da macrodrenagem da margem esquerda. Mas hoje a situação é outra.
 
Um decreto presidencial, emitido este mês, ordena que as cidades finalizem até abril suas pendências quanto a pedidos de verbas ao governo anterior. Passou de abril, pode dizer ‘xau xau’ para o recurso.
 
O governo federal quer agilizar os pleitos da segunda etapa do programa de aceleração do Crescimento (PAC 2). Daí a exigência de solucionar as sobras de 2010. Tubarão tem duas pendências: referem-se à macrodrenagem da margem esquerda do rio, cujo projeto é dividido em duas obras.
A notícia boa é que a etapa 1 (da microdrenagem – veja no quadro) está próxima de se tornar concreta. O último passo para acessar os recursos do Ministério das Cidades será dado esta semana. Diz respeito à entrega da planilha de custo à Caixa Econômica Federal.
 
“A Prosul (empresa contratada pela prefeitura para desenvolver os projetos) nos enviou o documento e nós resolvemos inverter a ordem e analisar primeiro para não ter mais aquele vai e volta. Acredito que teremos uma reposta, seja positiva ou de recusa, nas próximas semanas”, antecipa o vice-prefeito de Tubarão, Pepê Collaço (PP).
 
A etapa 2 (as estações elevatórias) foi a que deu problema. Faltam pontos que técnicos da Caixa e da Prosul ainda não chegaram a um consenso. “Estamos concentrados no projeto da drenagem por ser o que exige mais recursos. Mas não significa que abrimos mão da verba. Vamos lutar até o fim”, valoriza Pepê.
 
Os projetos
A macrodrenagem da margem esquerda de Tubarão é um projeto que compreende duas obras distintas: a construção de duas estações elevatórias às margens do rio e obras de microdrenagem:
 
♦ Microdrenagem
Valor do contrato: R$ 4.435.587,97.
Ministério das Cidades: R$ 4.213.808,57.
Prefeitura de Tubarão: R$ 221.779,40.
A obra: Será realizada desde a BR-101 até o Rio Tubarão e deve levar cerca de quatro meses para ser concluída. O projeto beneficiará cerca de 28 mil habitantes (quase 30% da população de Tubarão), moradores dos bairros Humaitá, Dehon, Morrotes, Vila Elisa e Centro. A ampliação do sistema de drenagem envolverá a construção de galerias, em uma extensão de 1,49 quilômetro, além da implantação de 16 caixas de ligação e passagem d’água.
 
♦ Estações elevatórias
Valor do contrato: R$ 499.973,98.
Ministério das Cidades: R$ 474.975,28.
Prefeitura de Tubarão: R$ 24.998,70.
A obra: Serão construídas três. Duas na avenida Padre Geraldo Spettmann – uma fica na esquina com a avenida Getúlio Vargas (beira-rio – cabeceira da ponte Nereu Ramos) e a segunda no fim da avenida, próximo a BR-101. A terceira fica na comunidade do Pantanal. A expectativa é de que sejam implantadas dentro de três meses. Esta obra beneficiará cerca de oito mil famílias.