Florianópolis

Na próxima segunda-feira, a situação dos fumicultores será tema de uma discussão no parlamento catarinense. O assunto influência diretamente no futuro de várias famílias que dependem do cultivo do tabaco em Santa Catarina. Na região, o Vale é destaque nesta cultura.

No ano passado, a Agência Nacional da Vigilância Sanitária (Anvisa) abriu duas consulta pública para tratar da fabricação do cigarro. A primeira, que se encerra no dia 31 deste mês, trata da proibição de algumas substâncias empregadas na fabricação do produto. A segunda, cujo término também é no último dia deste mês, proíbe a exibição de cigarros nos pontos de venda no varejo.

As duas mudanças propostas impactam diretamente nos agricultores. Hoje, o tabaco é plantado por 185 mil pequenos produtores, em 720 municípios dos três estados da região sul do país. São mais de 400 mil hectares produzidos e cerca de 870 mil pessoas do meio rural envolvidas na atividade.
Além desta audiência na próxima segunda-feira, já está agendado um ato público, na próxima quarta-feira, em Brasília. Antes disso, os parlamentares participarão de um outro encontro sobre o assunto em Santa Cruz do Sul (RS).