Carolina Carradore
Tubarão

O rio Tubarão chegou a 5,3 metros acima do nível normal (por volta das 19h30min) e a Defesa Civil ficou em sistema de alerta. Meia hora depois, a água já havia baixado dez centímetros. Às meia-noite, o nível estava em 4,80.

Para ocorrer uma enchente, é necessário atingir pelo menos sete metros. O metalúrgico Elias de Souza Francisco, 42 anos, morador do bairro Pantanal, perdeu as contas de quantas vezes teve que abandonar sua casa em dias de chuva. Na tarde de ontem, os seus filhos e a esposa levantaram os móveis da casa e deslocaram-se para a casa do pai de Elias, no bairro Humaitá de Cima. “Ficamos com medo da água invadir a casa. Precisamos salvas nossas vidas, por isso saímos de casa”, lamenta.

Elias ajudou o vizinho a abrir uma boca de lobo. Com água pelo joelho, a ação de nada adiantou para escoar a água. Márcia Justina, moradora do mesmo bairro, precisou chamar o guincho para retirar o carro da garagem. A água tomou conta da casa.

A recepcionista Aline Jesus da Luz, moradora do bairro Sertão dos Corrêa, também deixou a sua casa, ainda de madrugada, assim que observou que a cozinha começava a alagar. “Acho que quando chegar em casa vai estar tudo embaixo d’água”, dizia ela, amendrotada.

Força-tarefa

Para acalmar os ânimos da população, no meio da tarde de ontem, foi implantado em Tubarão um sistema de comando de operação, formado por membros da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, Exército e poder executivo. A força-tarefa é capitaneada pela Defesa Civil. Um helicóptero, a pedido da prefeitura, sobrevoou a cidade para fazer uma avaliação geral dos estragos.

Escolas, ruas casas e pontes são destruídas

Rafael Andrade
Tubarão

Muros caídos, estradas danificadas, pontes arrastadas, escolas e casas parcialmente destruídas. Moradores de todas as comunidades de Tubarão sofreram alguma consequência das chuvas. No bairro São Martinho, a principal rua da comunidade, a José Alves dos Santos Passos, ficou interditada, em frente à empresa Vipel, próximo ao cemitério. Um riacho passa por tubos de drenagem sob a via e a pressão da água foi tanta que houve uma erosão e o asfalto cedeu cerca de um metro.

“Acordei assustado. Parecia que havia explodido uma bomba. Corremos para fora de casa e vimos a cachoeira formada no meio da rua. A correnteza era forte e a água ameaçava invadir algumas residências nas proximidades”, informa o estudante Thiago Vieira, de 17 anos.

Um muro de quase cinco metros desabou sobre uma sala de aula na Escola Martinho Alves dos Santos, também em São Martinho. Não havia alunos na hora do desastre. “Um rio de lama invadiu os corredores da escola assim que o barranco veio abaixo junto com o muro”, relata o vigilante da unidade educacional, Gilson Elias, de 42 anos.

Redragagem do Rio Tubarão não tem data para ser executada

Zahyra Mattar
Tubarão

Além das obras de macrodrenagem, Tubarão também busca recursos junto aos governos federal e estadual para a dragagem do Rio Tubarão. O projeto está orçado em cerca de R$ 30 milhões. A expectativa é que a obra seja inclusa na segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2).

A primeira parte deste projeto está pronta desde setembro do ano passado. Trata-se da batimetria, que quantifica o assoreamento do rio para que a calha possa ser redragada e retificada. O último trabalho deste tipo foi realizado em 1982.
A medição foi realizada a cada 50 metros em 31 quilômetros do rio, desde a ponte Cavalcanti até a foz, na Lagoa Santo Antônio dos Anjos, em Laguna. O projeto final, feito pela Fundação de Apoio à Educação, Pesquisa e Extensão da Unisul (Faepesul) ainda não está pronto e não há prazo para quando será executado.

Aulas suspensas na rede de ensino da região
Alunos das redes municipal e estadual de ensino de Tubarão não terão aula hoje. A decisão foi tomada no fim da tarde de ontem, em virtude dos alagamento ocorridos em algumas áreas do município, situação que dificulta o deslocamento de estudantes e profissionais da área de educação de suas casas até as escolas. Mesmo que o dia amanheça bom, o cancelamento das aulas durante o dia de hoje será mantido. Em Jaguaruna, as aulas na rede municipal foram suspensas ontem e hoje. Não haverá transporte escolar em função das condições da estrada. Em Sangão, as aulas na rede municipal também foram suspensas ontem e hoje. O mesmo ocorre em Treze de Maio e Pedras Grandes.

Rodoviária de
Tubarão interditada

O acesso ao terminal rodoviário Intermunicipal José Ghizoni, em Tubarão, foi interditado ontem por causa da água que cobre a pista da rua Padre Geraldo Spettmann e redondezas. O embarque e desembarque de passageiros foi realizado no pátio do Posto Fera, às margens da BR-101, no trevo de acesso principal a Tubarão.

Rio transborda
na Madre

No bairro Madre, em Tubarão, próximo ao Clube 26, o rio transbordou quando alcançou 4,5 metros. Mais de 100 casas ficaram alagadas. No bairro Bom Pastor, o rio também ultrapassou as margens e pelo menos 30 famílias tiveram que deixar as suas casas.