Zahyra Mattar
Tubarão

Se depender do empenho da secretaria regional em Tubarão, Unisul e prefeitura, desta vez, a arena multiuso sai do papel. O projeto, elaborado pela universidade em 2006, foi apresentado ao então governador do estado, Eduardo Pinho Moreira (PMDB). Desde então, o documento “amarelava”, à espera de recursos.

Na verdade, a questão recurso foi até agora o maior empecilho para iniciar a obra. Orçado em R$ 15,86 milhões, a arena multiuso de Tubarão não resume-se apenas a um aglomerado esportivo, como observado nas outras, já construídas no estado. É uma obra imponente e digna de ser efetuada na cidade. Além da parte esportiva, é previsto um setor exclusivo para a promoção de grandes eventos e outra para a promoção cultural, onde será feito um teatro.

Na tarde de ontem, uma reunião entre o secretário de desenvolvimento regional, Jairo Cascaes (DEM), o prefeito de Tubarão, Manoel Bertoncini (PSDB), e o diretor do campus da Unisul, Valter Schmitz, traçou a estratégia para concretizar a obra. Primeiramente, a prefeitura entrará com o pedido de recursos ao governo do estado. Assim, ambos ficarão com a parte financeira da construção, enquanto o projeto e a gestão ficará a cargo da Unisul.

Paralelamente, caberá à Unisul readequar o projeto, já aprovado pelo conselho de desenvolvimento regional em Tubarão em 2006, a fim de reduzir o custo para aproximadamente R$ 10 milhões. “Apesar do valor orçado, a arena multiuso pensada para Tubarão continua de nível médio. É que, em vez de termos apenas um polo esportivo, programamos uma área para eventos e outra para cultura (o teatro). Acredito que diminuir um pouco cada setor poderá dar certo e terá o mesmo efeito”, pondera Valter.

No projeto original, a arena multiuso tem 11.876,14 metros quadrados de área construída na área do antigo Aeroporto Municipal Anita Garibaldi, no bairro Vila Moema. O local é de propriedade da Unisul, da prefeitura e do judiciário tubaronense. Neste mesmo lugar, em 2001, foi feito um projeto para a construção da sede da cidade (prefeitura), da reitoria, da câmara de vereadores e um parque verde.

Teatro
Esta é considerada a segunda etapa da obra. Além de um palco moderno para possibilitar a vinda de peças e companhias de grande porte, haverá espaço para 1,2 mil espectadores. A estrutura prevista contará ainda com camarotes e um palco voltado para a quadra esportiva para outros eventos, como shows de médio porte, por exemplo.

Ginásio de esportes
É a primeira etapa da obra. Nas arenas construídas em outras cidades do estado, existe praticamente apenas esta parte. Haverá uma quadra poliesportiva oficial e capacidade para 3,6 mil espectadores. Tanto nesta parte como nos outros espaços da arena, haverá locais específicos para lanchonetes e outras instalações para tornar o local também um ponto de encontro familiar.

Espaço para eventos
A terceira etapa da obra prevê salas para conferências e auditórios menores. Neste espaço, também são previstas aproximadamente 12 salas para aulas de teatros e oficinas culturais, além de áreas para eventos de menor porte.