Angelica Brunatto
Tubarão

Tubarão tem até amanhã para definir a situação do terreno para a instalação da empresa italiana Cimolai. Os administradores deram um ultimato à Cidade Azul. Caso nada seja resolvido, a fábrica pode buscar outro município.
O impasse está na definição da concessão do terreno pertencente Tractebel. “Eles não querem investir mais de R$ 60 milhões na preparação do terreno e fundações da fábrica em um espaço que não será deles”, explica o vereador Evandro Almeida. O investimento total da empresa chega a R$ 250 milhões.

A Tractebel pretende fazer uma concessão do espaço à prefeitura até 2016. Só depois o terreno será cedido. Por isso, já há procura por um outro local para abrigar a fábrica, com 30 hectares. “Na próxima semana, o representante da empresa no Brasil, Paulo Medeiros, virá a Tubarão para avaliar o terreno”, conta Evandro. Caso a resposta seja negativa, a Cimolai deverá desistir de Tubarão.

Para o vice-prefeito Pepê Collaço, os custos de aquisição do terreno não devem comprometer o orçamento do condomínio industrial. “O condomínio está acima de qualquer empresa”, afirma Pepê.
Com a desistência da italiana, as duas empresas chinesas que também cogitavam vir para Tubarão podem seguir pelo mesmo caminho.

Mesmo se a Cimolai não se instalar em Tubarão, as tratativas com a Tractebel deverão continuar. “Queremos ter essa área para a instalação de futuras empresas”, salienta Evandro.
Conforme Pepê, há mais interessadas em se instalar no condomínio industrial. “Logo, vamos iniciar as conversações. Há uma empresa nacional na fila, do Rio de Janeiro, e uma americana”, revela o vice.

Imbituba poderá ser o destino

Desde o início das conversações entre a comitiva catarinense e os representantes da Cimolai, Imbituba também discutia receber uma parte da empresa. Segundo o prefeito Beto Martins, a italiana pretende instalar um Centro de Distribuição na cidade. “Tínhamos negociações também, mas nada que comprometesse as tratativas com Tubarão”, explica Beto.
Uma dos locais onde o centro poderia se instalar é próximo à Ferju, na BR-101. “Ainda não acertamos todos os detalhes, são apenas especulações”, garante o prefeito. Com a desistência, da Cimolai do condomínio de Tubarão, há especulações que a empresa poderia escolher Imbituba como destino. “Nenhuma conversação nesse sentido foi feita comigo”, afirma Beto.

Relembre

Desde o fim de janeiro, uma comitiva catarinense tem realizado conversações com empresas multinacionais. O objetivo é instalar um condomínio industrial em Tubarão. Um protocolo de intenções chegou a ser assinado com duas empresas chinesas e a italiana Cimolai, que chegou a assinar a formalização da vinda, durante a viagem da comitiva à Europa. No início deste mês, os representantes da italiana visitaram Tubarão. A intenção é que o condomínio seja instalado em uma área pertencente à Tractebel. Porém, este terreno (de 90 hectares) precisa de alto investimento em terraplanagem (estimado em R$ 15 milhões), porque é destinado ao depósito de carvão.