Zahyra Mattar
Jaguaruna

Confirmado: as obras físicas do Aeroporto Regional Sul, em Jaguaruna, serão inauguradas na segunda quinzena do próximo mês. O Notisul antecipou esta informação há uma semana. Ontem, em visita à região, o governador Leonel Pavan marcou a data: dia 17 de dezembro.

O compromisso ontem era a inauguração da ala do semiaberto do Presídio Regional de Tubarão, no Bairro Bom Pastor. Mas Pavan aproveitou o voo para vistoriar os trabalhos no aeroporto. E gostou bastante do que viu.

Como qualquer gestor público, ele pediu agilidade. Quer tudo nos trinques nos próximos 30 dias. “O investimento no aeroporto representa o fortalecimento da infraestrutura que ajudará no aquecimento econômico da região sul catarinense”, lembrou.

Apesar do momento ser de comemoração – afinal, a região aguarda a implantação do empreendimento desde 2000 -, falta muito para o aeroporto entrar em definitiva operação. Além da necessidade da compra dos equipamentos de navegação, é preciso lançar a licitação para escolher as empresas que poderão operar no local.

Outra pergunta ainda sem resposta: quem vai administrar isso tudo? Ninguém conseguiu resolver isto ainda. E pode ser que seja cedo, até porque só a licitação das empresas pode demorar até 90 dias.

Mas nada disso desanima. A finalização da parte física é sinônimo de que, quem sabe, no começo do próximo ano o terminal seja homologado junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), algo também imprescindível ao funcionamento do local.

R$ 24 milhões
é o quanto o governo do estado já investiu na implantação do Aeroporto Regional Sul, em Jaguaruna. A cifra também inclui o aplicado na execução da pista, cuja obra diz respeito a primeira etapa do projeto.

Obras seguem em ritmo normal

Estrutura física
♦ Esta fase compreende a construção do terminal de passageiros, redes elétrica e hidrossanitária, climatização, subestação de energia, estação de tratamento de esgoto e de água, unidade do Corpo de Bombeiros, telecomunicação de telefonia e cabeamento estruturado, proteção contra descargas atmosféricas, paisagismo e torre de controle de tráfego aéreo. O investimento do estado é de R$ 6 milhões.

Acesso
♦ A obra é executada pelo consórcio Setep/Espaço Aberto e segue na fase de aterro e outros trabalhos necessários para a abertura da estrada de cinco quilômetros. As desapropriações dos terrenos será paga pelo governo do estado e custará R$ 500 mil. A pavimentação custará R$ 18,2 milhões e será paga pela União. A obra inclui ainda o pátio de estacionamento, uma ponte sobre o Rio Jaguaruna e um viaduto sobre a Ferrovia Tereza Cristina. Os trabalhos devem estar concluídos até o fim do próximo ano.