Zahyra Mattar
Tubarão

A Câmara de Vereadores de Tubarão trouxe à tona, na sessão de ontem, uma urgência que poderá emperrar as obras da segunda etapa do Aeroporto Regional Sul, em Jaguaruna, tanto quanto a demora na liberação dos recursos: a falta de pagamento do consórcio pró-aeroporto, firmado entre todos os municípios da Amurel para a compra dos lotes de terra necessários para a construção do empreendimento.
A questão financeira foi resolvida, mas foi uma “pedra no sapato” até bem pouco tempo. Agora, falta “apenas” a liberação da ordem de serviço para o início das obras. Já a do pagamento das parcelas do consórcio… esta parte está emperrada há muito tempo. Cinco cidades não quitaram as suas partes: Gravatal, Laguna, Rio Fortuna, Grão-Pará e Imaruí.

“Não é um ato inteligente destes prefeitos negarem-se a pagar o consórcio. Também não é ético e justo com os outros municípios que se esforçaram e quitaram aquilo que se comprometeram. Até mesmo porque o aeroporto beneficiará a todos. Minha maior preocupação é que o estado já sinalizou o início das obras e não temos ainda o terreno acertado, como deveria”, lamenta o vereador Maurício da Silva, autor do requerimento.

Esta preocupação de Maurício foi subscrita por todos os outros vereadores tubaronenses e será estendido em forma de requerimento para os cinco prefeitos que ainda não quitaram. O mesmo foi encaminhado à Amurel. “Se o que impede os prefeitos de pagarem for a negativa das câmaras, vamos fazer uma caravana até estas cidades e conversar com nossos colegas. Tubarão tem moral para tomar a frente, assim como as cidades que já fizeram a sua parte”, destaca Maurício.