Amanda Menger
Tubarão

A Companhia de Bombeiros de Tubarão passou para batalhão. O decreto-lei foi assinado pelo governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB), mas a oficialização será feita no próximo dia 26. A informação foi repassada pelo assessor de imprensa da secretaria de segurança pública e defesa do cidadão, Wilson Silva, e confirmada ontem em uma reunião entre o secretário de desenvolvimento regional em Tubarão, César Damiani, e o governador Luiz Henrique da Silveira, em Florianópolis.

A mudança trará benefícios que serão sentidos em curto prazo. O edital do concurso público para admissão de novos bombeiros prevê lotação para o Batalhão de Criciúma, ao qual Tubarão estava ligado. “Nos concursos, os recursos pessoais são destinados ao batalhão, que pode ou não lotar os soldados e oficiais nas companhias e pelotões”, esclarece o comandante em Tubarão, major Moisés da Silva.

A mesma lógica é utilizada para a distribuição de equipamentos como viaturas, por exemplo. “Quando o governo compra carros e outros aparelhos, faz com licitação para o estado todo e reparte por batalhões”, esclarece.
Há benefícios também para os próprios bombeiros, porque há criação de novas vagas e facilita a progressão na carreira. Além disso, os pelotões de Imbituba e Braço do Norte passam a ser automaticamente companhias.

Em outros municípios, como Jaguaruna, aumentam as possibilidades de instalação de unidades. “Vamos continuar negociando esta situação. Consideramos fundamental, porque Jaguaruna é um destino turístico e ainda mais agora, com o Aeroporto Regional Sul, torna-se importante ter a presença dos bombeiros”, avalia o major. A idéia é contar com a parceria do poder público municipal e implantar um modelo misto, com bombeiros voluntários e militares. Há pouco tempo, a cidade conta com um grupo voluntário.

Licitação do aeroporto na pauta
A visita do governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB) no próximo dia 26 também será decisiva para o Aeroporto Regional Sul, em Jaguaruna. “Ele assinará a ordem de serviços e liberará o edital para que as empresas interessadas façam a consulta e proponham preços e projetos para a segunda etapa”, revela o secretário de desenvolvimento regional em Tubarão, César Damiani.

A segunda fase está orçada em R$ 6 milhões e contempla os terminais de passageiros e cargas e a torre de comando. A expectativa é que o governo federal libere também os recursos para a realização das obras do acesso. “Esta foi uma promessa da senadora Ideli Salvatti (PT). Ela disse que assim que a licitação fosse lançada o governo federal liberaria a verba. Vamos cobrar este compromisso”, garante o presidente da Associação Empresarial de Tubarão (Acit), Eduardo Silvério Nunes.