Com capacidade para receber aeronaves dos modelos ATR 72 e Focker 100 (foto), entre outros modelos, o Aeroporto Regional Sul em Jaguaruna já despertou o interesse das operadoras Avianca, a Trip e Azul.
Com capacidade para receber aeronaves dos modelos ATR 72 e Focker 100 (foto), entre outros modelos, o Aeroporto Regional Sul em Jaguaruna já despertou o interesse das operadoras Avianca, a Trip e Azul.

Zahyra Mattar
Tubarão

É da audiência de hoje, em Brasília, entre uma comitiva política-empresarial da região e gestores da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que sairá a definição de como será feita a gestão do Aeroporto Regional Sul em Jaguaruna no próximo ano.
 

No mês passado, o governador catarinense Raimundo Colombo (PSD) anunciou que o empreendimento terá todas as suas obras finalizadas em março de 2012 e será inaugurado, já em funcionamento, em abril.
Pelo menos três empresas aéreas – Avianca, a Trip e Azul – já confirmaram interesse em operar em Jaguaruna. A Gol também já visitou a pista e poderá investir no empreendimento. O mais provável é que a gestão fique com a iniciativa privada, como já é especulado desde o ano passado. De qualquer forma, vários tipos de gestão serão apresentadas. O estado está descartado de gerir o negócio.

Também foi levantada a possibilidade de administração pública por meio de um consórcio regional entre algumas prefeituras. No encontro com os representantes da Anac, será discutido ainda o funcionamento do posto do Corpo de Bombeiros no local, cujas obras estão finalizadas.

Badesc
A viagem para Brasília também servirá para sondar, junto à Secretaria do Tesouro Nacional (STU), o motivo para não ter sido liberada ainda a documentação a fim de assinar o convênio entre a prefeitura de Tubarão e o Banco de Desenvolvimento do Estado de Santa Catarina (Badesc).

Junto ao banco, todas as questões estão sanadas há mais de um mês. A prefeitura pleiteia R$ 15 milhões para a revitalização do Ginásio Otto Feuerschuette, no bairro Aeroporto, e a construção de duas pontes, uma na rua Rui Barbosa, no centro, e outra que ligará as duas Guardas.

O que falta para o aeroporto decolar?

Para que o Aeroporto Regional Sul, em Jaguaruna, funcione plenamente em abril do próximo ano, é preciso comprar alguns equipamentos. Também é necessário concluir o acesso através da BR-101, em Sangão, que está em obras. Hoje, os trabalhos de abertura da estrada estão com 80% da implantação e pavimentação e do pátio de estacionamento de automóveis concluídas. O investimento, da União, é de R$ 18,2 milhões.

Está 81% concluída a implantação da sinalização noturna, composta de balizamento de pista e equipamentos de navegação aérea, mais farol rotativo. Também é feita a instalação da iluminação das vias internas e pátio de aeronaves, no valor de R$ 774,9 mil. É preciso lançar uma licitação para a compra de equipamentos de segurança. Deverá ser feito um pregão eletrônico para a aquisição de equipamentos de informática, ar-condicionado e mobília.

Também é necessário que a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) homologue a pista. Hoje, o Aeroporto Regional Sul em Jaguaruna está em sua terceira etapa. A conclusão da primeira ocorreu com a inauguração da pista de pousos e decolagens e o pátio de estacionamento de aeronaves, em 2006. A segunda terminou em dezembro do ano passado, com a inauguração do terminal de passageiros.