Zahyra Mattar
Tubarão

Responda em uma palavra qual a maior reivindicação do tubaronense. Para a maioria é o asfalto. E como quem chora mais, leva mais, uma infinidade de ruas começaram a ser asfaltadas na cidade. Elogios de todos os lados, inclusive das forças policiais, que conseguem se deslocar com maior agilidade. Em contrapartida, estas mesmas autoridades “começam” a se preocupar com outro problema: o “pé pesado” de muitos motoristas.

Esqueça o fator dirigir bem ou não. O item principal da discussão é exclusivamente a velocidade que as “novas” ruas, agora bem asfaltas, proporcionam. Retas incríveis que podem ser vencidas em minutos, segundos. O grande problema é que, para aproximadamente 500 motoristas, o fim do trajeto terminou em um acidente, um prejuízo, em algumas vezes até físico, que poderia ser evitado.

O dado refere-se aos primeiros três meses de funcionamento da Delegacia de Delitos de Trânsito da Polícia Civil de Tubarão, inaugurada no dia 26 de março deste ano. Este mesmo número, à primeira vista, pode parecer pequeno. Mas é muito para pouco tempo e muito para uma cidade do tamanho de Tubarão. Detalhe: refere-se, exclusivamente, àqueles acidentes registrados na delegacia criada para este fim.

É preciso considerar um bom aumento porque em alguns casos o registro é feito junto à Polícia Militar ou fica no “eu pago o meu, você paga o seu”, em casos de danos ínfimos. Conforme a equipe da delegacia, cujo trabalho é feito em parceria afinada com a Guarda Municipal de Tubarão, a solução não está em regredir, mas apostar em sinalização, cobrar que as regras sejam respeitadas e, principalmente, “massacrar” o motorista com ações preventivas e educativas.