Carolina Carradore
Tubarão

No ranking das contratações temporárias no comércio e na indústria, a Páscoa só perde para o Natal e o Dia das Mães. Para este ano, a expectativa é que o trabalho temporário no país cresça 11% nesta Páscoa, no comparativo com 2009. A mesma projeção ocorre no sul de Santa Catarina e fábricas, lojas e supermercados já abriram vagas para dar conta da demanda de chocolates na data mais doce do ano.

A proprietária do Chocolate da Zeza, Maria José Perito, espera vender pelo menos 1,5 mil quilos de chocolates, entre ovos de páscoa, docinhos e bombons. Mas, para manter a frenética produção, precisa pelo menos de mais dez funcionárias.
Destas vagas temporárias, cinco ela garante que serão permanentes. E achar mão-de-obra qualificada não é tarefa fácil. Tanto que a sua intenção é criar, junto com a Associação Empresarial de Tubarão (Acit), cursos direcionados à produção de chocolates.

A ausência de funcionárias chegou a causar prejuízo na época de Natal. “A procura era imensa, mas não dei conta de produzir porque não tinha mão-de-obra suficiente. Espero que isso não ocorra na Páscoa”, afirma, esperançosa. Para este ano, Zeza pretende investir ainda mais nas cestas de Páscoa e nas caixas de docinhos e bombons, vendidos no Brasil todo, principalmente no varejo.

Nos supermercados
A tendência para os empresários do setor supermercadista é um misto de otimismo com cautela para a Páscoa deste ano. As encomendas à indústria cresceram cerca de 5% em relação ao volume de produtos adquiridos em 2009. Chegam em 10% em alguns redes.
Em abril do ano passado, as vendas cresceram 12,51%, mas foi um caso atípico, porque em 2008 a Páscoa caiu em março. Além disso, abril de 2009 teve cinco sábados, um aspecto que também desequilibra no resultado geral de vendas do mês.

Em busca do emprego estável

As vagas temporárias são uma boa opção para quem está desempregado, pois a chance é grande de tornar o emprego efetivo. Leda Izidoro, 30 anos, comprova essa possibilidade. No fim do ano passado, decidiu procurar Zeza (do chocolate) para uma possível vaga na área de serviços gerais. Foi convocada de imediato para integrar a equipe de produção dos doces e bombons para o Natal. Aprendeu a fazer os famosos chocolates caseiros e acabou ficando para a temporada da Páscoa. Ela espera permanecer no emprego. Casada e mãe de duas meninas, com o salário que ganha, aliado às horas extras, incrementa a renda familiar. “O segredo é aprender, ter dedicação e trabalhar em equipe”, ensina.

Contratos sem exigir experiência

A Cacau Show deve contratar pelo menos três mil funcionários temporários em todo o Brasil. Em Tubarão, a loja contratará dez atendentes para o período da Páscoa. O trabalho deve durar de 20 a 30 dias e não é necessário ter experiência.

O proprietário da loja, Roberto Caires, estima um aumento de 30% em relação ao ano passado e o incremento no atendimento será indispensável. Para este ano, a Cacau Show espera a chegada de 70 itens diferentes para a clientela. “Começaremos o processo de seleção em fevereiro. Não precisa ter experiência, apenas disposição para o trabalho e saber trabalhar com vendas”, afirma Caires.