Na reunião dos Alcoólicos Anônimos, a identidade de cada integrante é preservada. O anonimato garante que falem com liberdade o que sentem, sem medo de represálias da sociedade e dos colegas
Na reunião dos Alcoólicos Anônimos, a identidade de cada integrante é preservada. O anonimato garante que falem com liberdade o que sentem, sem medo de represálias da sociedade e dos colegas

 

Karen Novochadlo
Tubarão
 
Uma, duas, três horas sem beber. Assim é contada a vida de quem resiste à dependência do álcool e buscou na entidade Alcoólicos Anônimos (AA) um alicerce para continuar em frente. O lema é viver um dia de cada vez, seguido por mais 24 horas de serenidade. Em Tubarão, a organização completa 35 de atuação neste domingo.  
 
Tudo começou em uma pequena sala, com apoio do AA de Laguna. Na sexta reunião, em 30 de janeiro de 1976, a entidade foi oficializada, através do Grupo Realidade. Um homem que desejava ajudar o irmão auxiliou a encontrar um local para as primeiras reuniões. Os materiais foram doados por integrantes de um grupo Florianópolis.
 
Em todos os anos de existência, é difícil determinar quantas pessoas foram ajudadas. Hoje, 60 homens e mulheres são assíduos na reunião em Tubarão. No município, são cinco grupos atuantes. Outros aparecem uma vez ou outra. Antes da década de 90, os membros chegavam depois dos 40. Hoje, vêm jovens com 22 anos. 
O encontro inicia com uma prece. Mas a oração não é ofertada em um Deus específico, e sim na imagem que cada membro tem de uma força poderosa. “Nós temos que seguir em frente e aceitar a vida”, revela um dos frequentadores. O anonimato é uma das condições da associação, onde cada um compartilha sua história e dificuldades enfrentadas diariamente. 
 
A recuperação é penosa e exige que o alcoólico reveja vários aspectos de sua vida. A dependência do álcool não é um sofrimento individual, envolve pais, filhos, irmãos, maridos e esposas. “O álcool deixa cicatrizes e marcas”, conta um participante. 
 
Reuniões
 
Tubarão (telefone para contato: 3632-9538)
• Grupo A.A Realidade: Rua Galdino José de Bessa, nº369, prédio anexo a Igreja Matriz São José Operário, no bairro Oficinas. Reuniões: Segundas, quartas e sextas-feiras, das 20 às 22 horas.  
• Grupo de A.A Humaitá: Rua Wenceslau Alves dos Santos, nº1061, Comunitário Humaitá, anexo a Igreja Nossa Senhora de Fátima, no bairro Centro. Reuniões: Terças, sextas-feiras, das 20 às 22 horas.  
• Grupo de A.A Tubarão: Rua Santos Dumont S/N. Salão Paroquial da Igreja Santo Antônio de Pádua, no bairro Santo Antônio de Pádua. Reuniões: Terças-feiras, das 20 às 22 horas.  
• Grupo de AA Viver e Sorrir: Rua José Alves dos Santos, s/nº. Centro Catequético de São Martinho – anexo a Igreja de São Martinho, no bairro São Martinho. Reuniões: Segundas-feiras e sábados, das 20 às 22 horas.  
• Grupo de A.A Passagem Para uma Vida Nova: Avenida Marcolino Martins Cabral s/nº – Centro Catequético Padre Raimundo Ghizoni – anexo a Igreja Santa Terezinha. Bairro Passagem. Reuniões: quintas-feiras, das 20 às 22 horas.  
 
Capivari de Baixo
• Grupo de A.A. Capivari: Rua Márcio Portela, nº 140 – Sala da Sanc, no Centro. Reuniões: Segunda-feiras, das 20 às 22 horas.