Cíntia Abreu
Tubarão

O decreto que vigora desde o último dia 10, onde o prefeito de Tubarão, Manoel Bertoncini (PSDB), estipulou que as escolas dispensassem os alunos e que lugares com aglomeração de pessoas fossem evitados para combater novos casos da gripe A, deu resultado. A constatação é do diretor da vigilância epidemiológica do estado, Luiz Antônio Silva, que esteve na tarde de ontem na secretaria de desenvolvimento regional em Tubarão (SDR), reunido com a gerente da 20ª regional de saúde em Tubarão, Maria Lúcia Mattos Gomes.

Apesar dos dados positivos, as duas próximas semanas serão a prova de fogo ao combate à epidemia, tanto no estado, como na cidade de Tubarão. “Todo vírus passa por diferentes fases. A nova gripe passou pela fase de introdução, circulação e prepara-se para a fase de desenvolvimento, que serão os últimos dias do mês de agosto”, ressalta Luiz Antônio.

O diretor reafirma a grande possibilidade de retorno às aulas segunda-feira em Tubarão. Porém, a recomendação da vigilância é de que os tubaronenses continuem a evitar locais que unam muitas pessoas. “Não adianta passarmos 16 dias trabalhando na prevenção da gripe, para depois colocar tudo por água abaixo”, sublinha Luiz Antônio.
A grande preocupação do diretor é que a população esqueça da etiqueta da tosse. “Esta doença não sumirá. É dever de todos nós mantermos os cuidados de higiene”, adverte o diretor.

Unisul prepara-se para o retorno

Na tarde de ontem, em reunião na secretaria de desenvolvimento regional em Tubarão (SDR), o diretor da vigilância epidemiológica do estado, Luiz Antônio Silva, deu como quase certa a volta das aulas na rede pública de Tubarão, como também o retorno da comunidade acadêmica à Unisul. A decisão dependerá dos resultados de prevenção da nova gripe.

Na volta, todo o cuidado é pouco, pois a doença entrará na fase de desenvolvimento, a mais crítica de combate. “A Unisul será nosso foco de preocupação, pois, além dos jovens estarem no grupo de risco, uma grande parte dos acadêmicos foi para outras cidades”, ressalta Luiz Antônio.

A diretora dos campi da Unisul de Tubarão e Araranguá, Milene Pacheco Kindermann, garante que a universidade prepara-se para combater os possíveis casos da nova gripe entre os dez mil alunos do campus de Tubarão. “O núcleo de pesquisa realizará a triagem dos alunos que apresentarem sintomas da doença. Uma equipe estará à disposição na sala 14 do prédio sede”, adianta Milene.

A diretora conta que um terço da comunidade acadêmica é de Tubarão. O restante é de fora, fato que aumenta as possibilidades de contágio da nova gripe. “O atendimento será inclusive através do telefone (3621-3349). A triagem será somente para os alunos e funcionários da Unisul”, explica Milene. O horário de atendimento deve ser decidido até amanhã.