Laguna

Mais de 12 mil pessoas passaram pela arena de shows montada às margens da Lagoa de Santo Antônio dos Anjos, em Laguna, para assistir o espetáculo A República em Laguna, encenado entre quinta-feira e ontem. De um lado, os marmanjos encantaram-se com Ana Maria de Jesus, a Anita, representada pela atriz Vanessa Lóes. Do outro, a mulherada gritava a cada cena em que surgia Thiago Lacerda, que deu vida ao capitão Giuseppe Garibaldi.

O teatro ao ar livre é mesmo um espetáculo. Quase 500 pessoas participam de cada ato da encenação. Quatro meses de intenso trabalho foram dedicados à produção. E a ânsia de ver Anita e Giuseppe tão bem representados, por pouco, não terminou em um tumulto generalizado sábado. A venda de ingressos e a distribuição de convites foi maior que a quantidade de lugares disponibilizados para a platéia. Muitos ficaram fora e não coube outra atitude à organização senão a de reembolsar os turistas e moradores locais que não passaram da porta de entrada.

Ainda com o problema, nada conseguiu ofuscar a valentia de Giuseppe e o amor de Anita. Pelo menos não para quem pôde ver tudo sentado confortavelmente. Desta quinta-feira a sábado, mais uma “rodada” do teatro será encenada. Novamente, os figurantes e os atores principais farão da Lagoa de Santo Antônio o palco para reviver a epopéia da República Juliana.

Devido à quantidade de espectadores um pouco acima do esperado, o Corpo de Bombeiros foi acionado para uma vistoria de última hora na estrutura das arquibancadas. Nada foi constatado. Um ponto positivo para a organização, que não deixou de se preocupar com a segurança.

Movimentação econômica
Um levantamento preliminar da secretaria de turismo e lazer da prefeitura de Laguna constatou que, nos dez hotéis que atendem o turista na baixa temporada, a ocupação chegou a 100% durante os dias do espetáculo, a exemplo do ano passado. A

lguns estabelecimentos divulgaram pacotes com preços especiais. Somente no Tourist Hotel, são esperados, para esta semana, 190 pessoas, vindas da capital, Joinville, São Paulo, Blumenau e Brusque. Os vizinhos gaúchos são os que mais fecharam pacotes.