Duas caçambas da prefeitura removeram o estoque contaminado para o aterro sanitário de Laguna.
Duas caçambas da prefeitura removeram o estoque contaminado para o aterro sanitário de Laguna.

Braço do Norte

Doze toneladas e meia de queijo impróprio para o consumo, armazenado irregularmente em um galpão no bairro São Basílio, em Braço do Norte, foram apreendidas ontem pela Polícia Civil.
O queijo tipo parmesão era de uma empresa de laticínios do estado de Minas Gerais e estava guardado sem a menor higiene e respeito às normas sanitárias. Foram encontrados detritos de cupim, fezes de ratos, aranhas, moscas, entre outros problemas.

Por meio de denúncia de que o local armazenava o produto fora da validade para revendê-lo, o fato é investigado. A Vigilância Sanitária do município, a Cidasc e o Instituto Geral de Perícias (IGP) foram acionados pela Polícia Civil.
Os profissionais estiveram no local, condenaram os queijos e determinaram sua imediata destruição, devido à contaminação do produto. Duas caçambas da prefeitura removeram o estoque contaminado para o aterro sanitário de Laguna.
Um inquérito policial foi aberto para apurar a responsabilidade penal dos envolvidos, uma vez que cometeram vários crimes. Entre eles, contra a saúde pública e o consumidor. As investigações são coordenadas pelos delegados Leonardo Valente e Francisco Ribeiro.

Algumas dicas para garantir a compra de queijo com segurança

• O queijo é um produto perecível. Então, antes de comprá-lo, é importante ficar atento ao prazo de validade e a aparência do produto, além da temperatura do refrigerador do ponto de venda.
• É recomendado verificar no ato da compra se o queijo apresenta textura firme e a cor do soro ligeiramente esverdeada e límpida. Caso esteja leitosa ou se o queijo estiver inchado ou estufado, a indicação de que o produto foi mal conservado.
• Na hora da compra, é imprescindível conferir se o queijo possui o carimbo do SIF (inspeção federal do Ministério da Agricultura), que certifica a elaboração dentro dos padrões de identidade e qualidade fixados pelo governo federal.
• As embalagens devem apresentar no rótulo valores nutricionais, validade e data de vencimento do produto.