Douglas Antunes, 25 anos, natural de Tubarão, é casado e tem um filho. Professor de matemática por formação, o candidato a deputado estadual concorre pela primeira vez ao pleito. Evangélico, membro da congregação Cristã do Brasil, atua há cinco anos na rede pública estadual e privada de ensino. Chegou a ser diretor de escola e professor do Ceja. Douglas sempre esteve engajado na comunidade. Foi coordenador de grupo de jovens, presidente do grêmio estudantil. Atualmente, é líder comunitário do bairro Guarda-MD. Douglas resolveu entrar na vida política no ano passado, época em que se filiou ao PSC. É presidente do partido em Tubarão, coordenador da sigla na região e vice-presidente estadual do PSC jovem do estado. O candidato tem uma proposta inédita em Santa Catarina. Se eleito, promete criar o gabinete móvel. Sua intenção é transformar um trailer em um gabinete itinerante. “Nossa ideia é que todos os dias esse gabinete irá para uma cidade, para atender nossos lideres comunitários, de igreja, vereadores e prefeitos”. Outra proposta do professor é colocar à disposição da população da região, duas vans que serão adquiridas em parceira com empresários. “Vou seguir o exemplo de um vereador de Pedras Grandes. Ele deixou um carro na cidade para atender a comunidade. Os veículos serão administrados pelo nosso gabinete”, antecipa.

Carolina Carradore
Tubarão

Notisul – Como candidato da região sul, qual a bandeira que você pretende levantar na campanha?
Douglas
– Meu projeto é baseado na educação, no social e no desenvolvimento. Temos que ter processo seletivo para diretores de escolas, para dar direitos iguais para professores participarem da gestão escolar. Nossa proposta é que a cada dois anos ocorra um processo seletivo para haver rodízio de diretores. Assim, todos terão oportunidade de mostrar o seu trabalho e vamos tirar a política de dentro da nossa escola. Quero defender também um projeto de lei que abra 10% das vagas de qualquer curso para pessoas que comprovem carência econômica. O projeto prevê também que o aluno tenha uma carga horária de prestação de serviço à comunidade.

Notisul – Para você, qual o papel exato do deputado?
Douglas
– Quero ser o buscador na assembleia legislativa. Acredito que temos que ter atuação, buscar as coisas, ter acesso as secretarias, não só ir para lá bater cartão. Quero estar em contato com os secretários, bater na porta do governador. Sempre vou ter algo para trazer à nossa região. Além de ser um fiscalizador, temos que buscar o que é necessário à região que representamos.

Notisul – Quais as áreas que precisam de mais atenção na nossa região?
Douglas
– Temos que desenvolver muito nossa região. Tudo aqui no sul é difícil. Você vê uma obra de um aeroporto que não termina nunca, uma Arena Multiuso que não sai, uma duplicação que leva a vida toda. A área de segurança também é complicada. Hoje, é muito fácil ver a polícia realizar blitz. Não que não seja necessária, mas poderiam também estar, à noite, fazendo rondas, monitorando os bairros. E fazer isso constantemente. Também temos que dar assistência às nossas igrejas, independente de qual for. Temos que auxiliar grupos de jovens, conselhos comunitários. Buscar projetos que tragam verba a essas entidades. Precisamos também trazer grandes indústrias, mas valorizar as que já estão aqui, incentivar os nossos empresários.

Notisul – Como você avalia a atuação dos deputados que nos representaram até então?
Douglas
– Merecem o nosso respeito, inclusive votei neles. Vejo que um está mais fraco, desgastado, mas faz um trabalho social muito bonito. O outro passou oito anos falando mal do governador e agora vem para cá, de novo, pedir voto. Então, é o momento de avaliar. O cara não trouxe nada à região. O eleitor tem que ficar atento a essas coisas. Falta uma representação de verdade. Falta atuação, disposição. Com exceção do Genésio Goulart (PMDB), que sempre está na comunidade, o outro só fala do partido dele, não fala da região que representa.

Notisul – Qual sua opinião do voto regional?
Douglas
– Sou um forte defensor do voto pelo sul e sei que terei voto em todas as cidades da nossa região. Temos que escolher candidatos do sul. Também precisamos ficar atentos nos vereadores de Tubarão, alguns até envolvidos em escândalos, que trabalham para candidatos de fora. Nosso povo tem que avaliar se eles merecem nosso voto em 2012. Por que pedir voto para candidato de fora se temos tantos aqui?

Notisul – Como você está formando sua base eleitoral?
Douglas
– Temos uma base eleitoral muito forte. Sou um privilegiado porque vou levar voto em mais de 250 cidades de Santa Catarina, pois temos coordenadores e presidentes em todas essas cidades.

Notisul – Como você avalia a região atualmente?
Douglas
– Quando viajamos para o norte, ficamos tristes. Observamos obras grandes, asfaltos, grandes empresas. Quando chegamos no sul, percebemos que tudo é mais fraco, tudo é custoso. A nossa região é desprezada. Temos muito políticos com discurso bonito na região, mas com pouca ação.

Notisul – Quanto você pretende gastar na campanha?
Douglas
– O necessário para termos nossa vitória. Temos parceiros que aderiram nossa proposta que estão nos auxiliando.