Nomeada no dia 16 do mês passado para presidir a Fundação Municipal de Saúde de Tubarão, Tanara Cidade de Souza, 49 anos, assumiu decidida a enfrentar desafios. Ela conta que é preparada para os desafios da gestão. O primeiro que encontrou foi ser discriminada por não ser natural da cidade. Tanara é Laguna, onde também exerceu a função de liderança na área da saúde, por sete anos. É formada em direito e seguiu a profissão por muitos anos, sempre com foco em questões familiares e sociais. Também foi candidata a prefeita da Cidade Juliana, sem sucesso. A sua maior realização, depois do marido e de seus 14 filhos, é o trabalho.

Silvana Lucas
Tubarão

Notisul – Há pouco tempo frente à Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Tubarão, já foi possível perceber que dificuldades neste setor?
Tanara – Já conseguimos identificar que temos alguns setores fragilizados. Realizamos no momento um trabalho junto aos servidores com conversações e avaliações do potencial individual, com ações voltadas a motivar e estruturar, para que possam crescer dentro do trabalho. Todos os integrantes do setor, de um modo geral, são ouvidos. Percebemos que o grupo está disposto a fazer mudanças e sentiam um pouco a falta de alguém que orientasse um caminho, que viesse em uma lógica de fortalecer esta relação tanto com eles, quanto com a comunidade na qual são atuantes.

Notisul – Existe algum setor da saúde mais defasado profissionalmente?
Tanara –
Atualmente, o profissional que mais precisamos no quadro de colaboradores é o técnico de enfermagem. Com relação aos médicos, está tranquilo, existe um em cada equipe e já conseguimos um para cada grupo na cobertura das férias. Quanto a especialistas, temos alguns em credenciamento. Falta ampliar alguns atendimentos nas áreas de neurologia, psicopedagogia e psiquiatria, profissionais que iremos buscar com a abertura do credenciamento, no próximo ano.

Notisul – Por que tantas críticas com esta pasta por parte da população?
Tanara –
Eu acredito que é porque não conseguimos dar algumas respostas, porque na saúde sempre vai haver problemas, não adianta achar que vamos conseguir deixar perfeito, que todo mundo vai ficar satisfeito. Mas creio que existem formas de trabalhar que conseguem maior  prioridade para os casos mais graves, onde há risco de morte. Para estes casos, temos que ter um olhar especial e o atendimento básico precisa funcionar perfeitamente. Precisamos ter as unidades em condições de atender a população, com o número de exames que seja minimamente preconizado, pela disposição de distribuição, avaliando a população de cada área. Isso já vai dar uma qualidade melhor no atendimento. Em um pouco mais de um mês à frente da fundação, o que percebemos são questões no atendimento. Estamos basicamente em alteração de planejamento e reavaliando serviços internos que dão resultados diretamente à população. Na parte administrativa, por exemplo, do controle e avaliação do município, está em revisão o tratamento fora do domicílio (TFD), departamento que passou a estar a aberto o dia todo. 

Notisul – Quais as metas da fundação para o próximo ano?
Tanara –
Atender com maior qualidade o tubaronense, ampliar a cobertura dos serviços, diminuir algumas demandas que temos nas áreas de psicologia, psicoterapia, neurologias, psiquiatria, oftalmologia, otorrinolaringologia. Planejamos diminuir esta demanda, quem sabe trabalhar em mutirão para a realização destes serviços. Há muita procura e não houve uma organização para que fluísse rotineiramente, acumulou-se. Temos que criar um ritmo diferente de trabalho para atender estas patologias, para colocar a casa em ordem. 

Notisul – Como é a forma de trabalho de Tanara? Como recebeu as críticas quando foi nomeada?
Tanara –
A minha forma de trabalhar é não cobrar aquilo que eu não possa fazer. Estamos aqui e não temos muito tempo, somente dois anos pela frente. Temos o compromisso de mudar a visão que as pessoas têm com relação à saúde em Tubarão. Meu papel nesta fundação é mostrar que o sistema público pode funcionar bem. Todos os atendimentos devem ser de qualidade, desde que façamos um planejamento adequado, dentro dos recursos investidos, e executamos com respeito e responsabilidade.  Procuro ouvir os funcionários e aproveitar o que cada um tem para contribuir. Na minha gestão, todos podem crescer profissionalmente, mas da mesma forma que oportunizo também cobro respostas. Não admito que ocorra algo dentro da secretaria que eu não saiba. Como responsável, eu tenho que saber tudo. Como eu não posso estar em todos os lugares, os servidores têm que ser meus olhos e os fiscais destes serviços.

Notisul – Cada unidade de saúde tem uma forma de agendamento de consultas. Umas funcionam melhor que as outras. Há algum estudo para verificar qual a melhor e padronizar?
Tanara –
No geral, em Tubarão não é padronizado. Já temos algumas avaliações para ser implantada numa certa lógica, que permita os diversos tipos de atendimento. Uns querem pegar a sua vaga no dia, outros gostariam de agendar. Então, para podermos atender da melhor forma, precisamos fazer algumas discussões internas. Melhorar o fluxo de distribuição de exames, porque atualmente o que ocorre é liberação de exames somente no começo do mês. Em consequência, torna-se o período que há mais filas nas unidades, porque a maioria quer uma consulta por causa dos exames. Como vamos ampliar a cota destes exames e distribuí-los ao longo do mês, possivelmente estas consultas que hoje se avolumam nos dez primeiros dias vão se distribuir por mais 20 dias. Em consequência, ampliamos alguns serviços, criamos novas demandas. 

 

Notisul – Você foi secretária de saúde em Laguna. Qual a diferença entre os dois municípios?
Tanara –
Laguna já estava bem mais organizada neste setor. Quando saí de lá, a rede já tinha um fluxo bom de trabalho. Pelo tempo de serviço na Cidade Juliana, todos no setor já sabiam o ritmo, já entendiam como eu gostava das coisas. Com muitos servidores, não havia mais necessidade de pedir algo, porque sabiam qual o encaminhamento necessário. As coordenações das equipes já conheciam meu sistema, então, seguiam no caminho certo, sem precisar me consultar, ligar para pedir. Havia um ritmo de trabalho que funcionava, que em breve Tubarão também terá. Percebemos já nas recentes reuniões que há interesse de nossos servidores em resolver questões que antes ficavam sem respostas e que possam sentir que somos uma equipe para dar apoio e respaldo. Eles não estão sozinhos em suas funções.

Notisul – Como está o relacionamento do executivo municipal com a direção do Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC) após a divulgação da dívida da prefeitura com a instituição? Tudo foi quitado?
Tanara –
A fundação já acertou com o hospital. Nós já negociamos com a irmã Jacira e parcelamos a nossa dívida. De nossa parte, está tudo certo para o hospital não fechar as portas para os atendimentos para SUS. Inclusive, já estamos com o contrato para o próximo ano pronto para ser assinado. Já está tudo encaminhado para 2015 não haver problemas nesta parceria. 

Tanara por Tanara
Deus
– Base.
Família – Descanso e aconchego.
Trabalho – Realização.
Passado – Corrigir o presente.
Presente – É o que sou e tenho.
Futuro – Construção. 

 

"Não posso prometer milagres, e também que vai ser fácil, mas gradativamente vamos mostrar que é possível avançar na qualidade do setor"